acessibilidade

Sobre a Amazônia

Mapa do Brasil

Cobertura

59% do território é ocupado pela região amazônica, mas sua participação no PIB nacional é de apenas 8%, segundo especialistas;

CINDRA
Comunidade

Diversidade cultural

Na Região temos mais de 180 etnias e 150 línguas diferentes.

(Global Forest Watch 2019)
População Mundial

Contexto populacional

Há mais de 27 milhões de habitantes na Amazônia, o que representa 13% da população brasileira.

(IBGE)
Floresta

Biodiversidade

Cerca de 15% de toda a biodiversidade continental do planeta concentra-se apenas no ecossistema Amazônico, cuja biomassa vegetal armazena quase 200 bilhões de toneladas de carbono.

SUDAM

Plano Amazônia

Lançado em junho de 2020, com outros dois grandes bancos privados, Bradesco e Santander, o Plano Amazônia visa promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Além da importância do bioma para o clima no planeta, a parceria entre os bancos formou-se em um ano especialmente críticopara a região, que registrou um expressivo aumento na taxa de desmatamento. Segundo dados do Instituo Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), entre agosto de 2019 e julho de 2020 – mês de início do Plano Amazônia –, o desmatamento no bioma aumentou cerca de 9,5%.(1) A região também foi fortemente atingida pela COVID-19, o que intensificou as condições de vulnerabilidade social da população.

O sistema financeiro possui capacidade de contribuir de forma direta e indireta no uso sustentável dos biomas brasileiros, com base na sua atuação com clientes do varejo ou do financiamento de empresas e suas cadeias. Diante disso, o Plano Amazônia tem como objetivo alavancar o desenvolvimento sustentável da região por meio de três focos estratégicos:

Mapa do Brasil

Apoio à conservação ambiental e desenvolvimento da bioeconomia;

Comunidade

Contribuição para a garantia dos direitos básicos da população

Floresta

Investimento em infraestrutura sustentável

Governança

Para que as medidas tenham avanço real e seja alinhada à estratégia de cada um dos bancos envolvidos, criamos uma governança integrada entre os times de Sustentabilidade, os CEOs dos bancos e especialistas da região.

Conselho de Especialistas

Para apoiar a implementação das dez medidas propostas para impulsionar o desenvolvimento sustentável da região, os três bancos criaram uma instância formada por um grupo de especialistas altamente qualificado e que conhece profundamente os desafios do Brasil na área ambiental e, mais especificamente, na Amazônia.

Os profissionais que fazem parte do conselho hoje são: Adalberto Luís Val, biólogo e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA); Adalberto Veríssimo, pesquisador associado e co-fundador do Imazon e diretor de programas do Centro de Empreendedorismo da Amazônia; André Guimarães, diretor-executivo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e co-facilitador da Coalizão Brasil Clima Florestas e Agricultura; Carlos Afonso Nobre, cientista sobre Mudanças Climáticas e Amazônia; Denis Minev, diretor-presidente das Lojas Bemol, co-fundador da Fundação Amazonas Sustentável e do Museu da Amazônia; Izabella Teixeira, ex ministra do Meio Ambiente, bióloga e doutora em Planejamento Ambiental pela COPPE/UFRJ e Teresa Vendramini, pecuarista e presidente da Sociedade Rural Brasileira.

Nossa atenção ao tema

Questões ambientais sempre tiveram nossa atenção. A pauta de temas ESG (Environmental, Social and Governance) faz parte da agenda do setor financeiro há algum tempo. No Itaú Unibanco, temos uma agenda de sustentabilidade que levamos muito a sério. Fazemos análise de risco socioambiental desde 2000. Em 2004, fomos a primeira instituição da América Latina a assinar os princípios do Equador. Mas antes de ser uma preocupação de bancos e investidores, esta é uma preocupação de todos.

Historicamente, nos destacamos e sempre agimos de forma proativa em termos de ações para promover impacto positivo. Somos o único banco da América Latina a compor o índice de Sustentabilidade do Dow Jones, desde sua criação. Assim como estamos desde o início dentro da carteira dos índices de sustentabilidade da B3, o ISE e Carbono Eficiente. Em 2019, assinamos na sede da ONU, os Princípios de Responsabilidade Bancária (PRB), que têm como objetivo alinhar nossos negócios aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Floresta

Criamos os Compromissos de Impacto Positivo. Através deles, queremos gerar transparência nos nossos reportes e comunicações, além de impacto positivo por meio dos nossos negócios e na nossa conduta e forma de agir. Desta forma, garantimos que Sustentabilidade seja levada a todas as áreas de nossa instituição.

 

Conheça as 10 medidas do Plano Amazônia:

MEDIDA PRIORIZADA

Visa ao desmatamento zero no setor de carnes, reforçando diligências internas, apoiando a transição e articulando empresas e associações para a criação de um compromisso setorial.

 
Status: Em andamento

 

Assumimos o compromisso de apoiar a transformação do setor, por meio da adoção de práticas diferenciadas como pré-requisito para a concessão de crédito.

Definimos uma súmula com a construção de direcionamentos estratégicos em comum para incentivar o comprometimento dos frigoríficos brasileiros quanto à sua responsabilidade socioambiental e a rastreabilidade de sua cadeia de fornecedores diretos e indiretos:

(i) boas práticas
(ii) uso de plataformas tecnológicas
(iii) compromissos públicos
(iv) planos de ação até 2025.

MEDIDA PRIORIZADA

Estimular as culturas sustentáveis da região por meio de linhas de financiamento diferenciadas e ferramentas financeiras e não financeiras.

Status: Em andamento

 

Definimos uma meta inicial conjunta, que já foi superada, de levar R$ 100 milhões em crédito para cooperativas e agroindústrias que atuam no cultivo, manejo, extração, beneficiamento e comercialização dos produtos amazônicos, sempre dentro das melhores práticas. Além disso, temos realizado parcerias para assistência técnica e desenvolvimento de um pipeline de negócios de impacto na região.

MEDIDA PRIORIZADA

Atrair investimentos que promovam parcerias e desenvolvimento de tecnologias que impulsionem a bioeconomia.

Status: Em andamento

 

Em um momento em que nossa sociedade caminha para a transição de uma economia de baixo carbono, a Bioeconomia assume papel chave no desenvolvimento social e econômico do país. Nesse primeiro ano, decidimos nos aprofundar, apoiando um projeto que mostrará as razões para a ainda baixa participação dos produtos amazônicos no mercado global e os caminhos para ampliá-la. Em suas recomendações, que serão entregues em 2022, o trabalho trará elementos para a superação dos principais gargalos para o desenvolvimento de cadeias produtivas da região com alto potencial de inserção internacional.

MEDIDA PRIORIZADA

Articular e apoiar a implantação do sistema informatizado de registro de regularização fundiária, além de realizar um mapeamento legislativo em nível estadual e municipal e “advocacy” ao governo.

Status: Em andamento

 

Neste tema, recebemos o apoio de renomados escritórios jurídicos que aceitaram nosso convite para trabalhar na elaboração de um documento, cujo objetivo foi mapear a legislação vigente nos nove Estados da Amazônia Legal e que poderá servir de base para apoiar a discussão do tema pelos entes competentes.

Status: Em fase inicial.
Status: Em fase inicial.
Status: Em fase inicial
Status: Em andamento
Status: Em andamento
Status: Em andamento

 

Mas não paramos por aqui, já temos olhado para o futuro e construído novas iniciativas, fique de olho!

Iniciativas aliadas a este compromisso

Degradação ambiental

Conferência Itaú Amazônia

A Conferência Itaú Amazônia reuniu especialistas na região e renomados gestores de fundos nacionais e internacionais. O evento on-line fomentou o debate sobre questões essenciais para o desenvolvimento da região e tópicos relacionados a investimentos.

Clique aqui para assistir ao evento

conselho

Conferência Itaú Amazônia e Instituto Socioambiental

A Conferência Itaú Amazônia também arrecadou junto com empresas, clientes e colaboradores fundos para projetos de restauração florestal e geração de renda local, uma parceria com o Instituto Socioambiental.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui

conselho

Um cashback diferente

Por acreditar em ações que estimulam o poder transformador das pessoas, unimos esforços junto a Mastercard na Coalizão Planeta Priceless. Em uma campanha com o objetivo de conscientizar clientes sobre a importância da sustentabilidade, o Itaú Unibanco destinou parte do valor das compras feitas com cartões em meios digitais para o plantio e conservação de 60 mil árvores na Amazônia. A iniciativa é parte do projeto Coalizão Planeta Priceless, que tem como objetivo engajar os clientes para a adoção de hábitos de consumo consciente e mais sustentáveis, além unir esforços de consumidores, instituições financeiras, comerciantes e cidades para combater as mudanças climáticas por meio da restauração de 100 milhões de árvores ao longo de cinco anos.
 

 

Apoios e parcerias

Brasil Clima

Evento Bioeconomia em Foco

Em setembro de 2021, realizamos o evento Bioeconomia em Foco, que contou com a presença dos CEOs do Itaú, Bradesco e Santander. O Evento marcou o 1 ano do Plano Amazônia e trouxe especialistas no tema para refletirmos sobre os potenciais e oportunidades para construção de uma economia sustentável, pautada na biodiversidade e inclusão social.

Clique aqui para assistir ao evento

Plano

Amazônia 4.0

Biofábricas para as cadeias de cacau e cupuaçu que propõe um novo modelo de negócio que agregará tecnologia, com saberes locais e a manutenção da floresta em pé.

Clique aqui para saber mais

Brasil Clima

Fórum de Inovação em Bioeconomia

Quer saber mais sobre Bioeconomia na Amazônia? Reveja os conteúdos do Fórum de Inovação em Investimento na Bioeconomia Amazônica, uma iniciativa conjunta da rede Concertação pela Amazônia, composta por diversos atores públicos e privados, e o Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

Acesse

Brasil Clima

Bradesco, Itaú e Santander aderem à Coalizão Brasil Clima

Movimento multisetorial, lançado em 2015, é composto por mais de 230 entidades que lideram o agronegócio no Brasil, organizações civis da área de meio ambiente, representantes do meio acadêmico, entre outras

Últimas notícias relacionadas

Brasil Clima

Uma nova Amazônia para o Brasil do futuro

Leia o artigo escrito pelos CEOs do Itaú, Bradesco e Santander em reflexão ao 1 ano do Plano Amazônia
conselho

Bradesco, Itaú e Santander formalizam conselho consultivo para Amazônia

Com a escolha de sete especialistas para coordenar a implementação das medidas propostas pelos bancos para estimular o desenvolvimento sustentável da região.
Plano

Bradesco, Itaú Unibanco e Santander lançam plano conjunto para promover o desenvolvimento sustentável da Amazônia

O plano foi apresentado ao governo federal e, a partir de agora, os três bancos trabalharão em conjunto no detalhamento das iniciativas e no estabelecimento de metas.
Degradação ambiental

O que os bancos estão fazendo pela Amazônia

Acompanhe a entrevista concedida pela Head de Sustentabilidade, Luciana Nicola, em conjunto com Bradesco e Santander sobre o 1 ano do Plano Amazônia
Degradação ambiental

Degradação ambiental diminui fluxo de investimentos para o Brasil

Ao participar da 1ª Conferência Itaú Amazônia, Candido Bracher afirmou que, além dos danos ambientais óbvios, a degradação ambiental também traz outros prejuízos, como a diminuição no fluxo de investimentos para o Brasil e mesmo a interrupção de algumas linhas de crédito.
Principais bancos privados do País vão financiar cadeia produtiva da Amazônia
Principais bancos vão financiar a cadeia produtiva na Amazônia, com 4,3 trilhões de ativos.