acessibilidade

fechar

podcast

21º Edição

04/02/2021

Saiba mais sobre a recente emissão de título de dívida sustentável realizada pelo Itaú Unibanco.

Entrevistadas: Paula de La Fuente, Gerente da Tesouraria e Virgínia Gonçalves, Gerente de Relações com Investidores.

Spotify
Download da Transcrição

21ª Edição

Saiba mais sobre a recente emissão de título de dívida sustentável realizada pelo Itaú Unibanco

Entrevistadas: Paula de La Fuente, Gerente da Tesouraria e Virgínia Gonçalves, Gerente de Relações com Investidores.

Começa agora a sua imersão no mundo dos investimentos, está no ar o Investcast, o Podcast do Itaú Unibanco para acionistas bem informados.

Esta é a edição número 21 do Investcast Itaú Unibanco, o meu nome é Cassio Politi, e hoje ao meu lado estão: Paula de La Fuente, Gerente da Tesouraria e Virgínia Gonçalves, Gerente de Relações com Investidores do Itaú Unibanco.

Paula, vou começar por você, é um prazer ter você aqui. Obrigado por aceitar o convite e bater esse papo aqui com você, conosco, né, com os ouvintes do nosso podcast. Obrigado, Paula.

Paula de La Fuente: Oi, Cássio. Eu estou muito feliz de estar aqui, e super obrigada pelo convite.

Cassio Politi: Eu é que agradeço. E, Virgínia, da mesma forma, é um prazer ter você aqui para esse bate papo hoje.

Virgínia Gonçalves: Tudo bom, Cássio? Eu também estou super feliz de estar aqui, junto com a Paula, para a gente contar um pouquinho dessa emissão que o Banco fez.

Cassio Politi: Eu é que agradeço, também estou muito feliz aqui de receber você, na verdade, vocês. Bom, vamos lá então. Recentemente o Itaú Unibanco emitiu títulos da dívida sustentáveis, no mercado internacional, e eu queria perguntar inicialmente a você, Paula, o que isso significa? O que são esses títulos de dívida?

Paula de La Fuente: Cássio, vou começar minha resposta aqui, primeiro, pela última pergunta, do que são títulos de dívidas. Então, títulos de dívidas são formas de o Banco captar recursos no mercado internacional. E essa transação específica que a gente fez, por ser no mercado internacional, a gente utiliza a denominação de título em inglês, que é um “bond”. Foram captados nessa transação, nesse “bond”, 500 milhões de dólares e esse título tem o prazo de 10 anos e 3 meses e oferece uma remuneração para os investidores, em dólar, de 3,95% ao ano. E agora indo para a pergunta de o que são títulos de dívida sustentáveis, a razão pela qual a gente chama isso de dívida sustentável é porque esse título, os recursos captados através dele, devem ser destinados para financiar e refinanciar projetos verdes e sociais. Os projetos elegíveis, então, os projetos verdes ou sociais, eles são descritos em um documento que recentemente o Banco publicou no seu site de RI, que se chama “Sustainability Finance Framework”.

Cassio Politi: E, Paula, por que o Banco fez essa captação?

Paula de La Fuente: Essa transação, ela traz diversos benefícios para o Banco. O primeiro deles é a possibilidade de diversificar suas fontes de “funding”, porque através dessa transação a gente acessa os investidores no mercado internacional. Um segundo ponto é que as características desse título, elas atendem a regras específicas do Banco Central, então por isso a gente pode classificar essa dívida como capital, e ela contribui para um índice que a gente chama de “Índice de Basiléia”. E por último, e é um ponto bem importante, é que os recursos, eles vão contribuir para a estratégia de sustentabilidade do Banco, que hoje é uma frente de trabalho na qual estamos muito atentos. Cassio Politi: E, Vigínia, agora direcionando uma pergunta para você, dá para dizer que os aspectos de sustentabilidade são um diferencial desse título em relação aos que o Banco emitiu no passado?

Virgínia Gonçalves: Sim, porque no passado a gente já fez diversas emissões com intuito de reforçar o capital do Banco, né, aumentar a liquidez, mas o diferencial dessa, sem dúvida, é o pilar de sustentabilidade. Então, dá para dizer. A gente tem o compromisso aqui de alocar esses recursos em negócios que trabalham questões ambientais e sociais, seguindo determinados critérios de elegibilidade que estão no documento que a Paula acabou de mencionar, esse “Sustainability Finance Framework”. Esse documento está no site de Relações com Investidores do Banco, então quem quiser consultar e conhecer no detalhe, pode acessar e fazer o download do documento. Eu acho que, é importante a gente falar que não é um movimento isolado, sabe, do Itaú, nesse tema. A gente tem uma agenda de sustentabilidade há muito anos. Em 2019 a gente lançou a Agenda de Compromissos de Impacto Positivo. Então, investir e financiar setores e negócios que contribuem para uma economia mais verde e inclusiva, que a gente denomina “setor de impacto positivo”, é uma das metas do Banco. Então tanto essa emissão quanto esse documento, que baliza as categorias elegíveis, eles estão totalmente alinhados à Agenda de Sustentabilidade do Itaú Unibanco.

Cassio Politi: E, Paula, é verdade que é a primeira vez que uma instituição da América Latina emite esse tipo de título?

Paula de La Fuente: É exatamente isso, Cassio, e eu fico muito orgulhosa de ter participado desse projeto. E é importante dizer que, aqui nessa conversa está a Virgínia, de Relações com Investidores, e eu, que sou de Tesouraria, mas além de nós, a gente teve um grupo multidisciplinar dentro do Banco que participou de toda a concepção desse projeto. Então também participou a área de Crédito, a área de Risco Socioambiental, a área de Sustentabilidade, a área de Compliance, e todos contribuíram para que a gente tivesse esse resultado final de ser a primeira emissão de capital de uma instituição financeira na América Latina, e a primeira operação para financiar ou refinanciar projetos verdes ou sociais. Nós estamos vendo nos últimos meses um crescimento significativo dessas transações sustentáveis no mercado internacional. A demanda desses títulos, quando a gente para para pensar nos investidores ESG, ela tem crescido ao longo do tempo, e isso foi demonstrado no nosso próprio “bond”, aonde o tamanho das intenções de compra que a gente recebeu foi duas vezes e meia maior do que o volume que foi emitido pelo Banco.

Cassio Politi: Muito legal saber desse esforço conjunto, aí, né, dentro do Banco, né. E agora, Virgínia, como que esses recursos podem ser utilizados daqui para a frente?

Virgínia Gonçalves: Eles são alocados em negócios que trabalham questões ambientais e sociais, dentro das oito categorias elegíveis, então, a gente já fez esse esforço de definir as categorias. Mas no primeiro momento a gente pretende focar em projetos de energia renovável, como plantas de energia eólica, linhas de transmissão; em transporte sustentável, então, carro elétrico, carro híbrido, algo que está chegando para ficar no mercado; e em finanças inclusivas, aí você tem uma série de categorias, né, relacionadas a micro e pequenas empresas, ou pequenas e médias empresas detidas majoritariamente por mulheres ou em regiões de desenvolvimento, como o Norte e o Nordeste do País. Acho que, com relação a esses projetos, também é válido comentar que essas categorias, elas conversam com iniciativas que já existem dentro do Banco. Eu falei de empresas lideradas por mulheres, o Programa Itaú Mulher Empreendedora, ele existe desde 2013 aqui, oferecendo soluções de capacitação, de networking, de inspiração. Ele tem resultados, assim, expressivos. A gente já tem mais de 23 mil mulheres cadastradas em uma plataforma, a gente ofereceu um plano de crescimento que já teve mais de 27 mil acessos, aqui, de mulheres interessadas no conteúdo. Então, acho que, além de serviços financeiros, o Banco está trazendo mais representatividade para mulheres que lideram negócios. Em função de tudo isso a gente até recebeu um prêmio, né, de melhor banco para mulheres empreendedoras no ano passado. Acho que é um exemplo de conexão entre os projetos que são elegíveis a esse tipo de recurso e tudo o que a gente tem feito nas agendas aqui, na agenda de sustentabilidade do Itaú.

Cassio Politi: E tem alguma garantia de que essa captação vai ser investida em projetos sociais e ambientais? Paula, tem algum padrão de mercado nessa definição de como esses projetos vão ser selecionados? Você pode explicar um pouquinho mais sobre isso?

Paula de La Fuente: Claro, indo primeiro para sua parte da pergunta em relação ao padrão do mercado nessa definição, o nosso framework, ele está alinhado com as diretrizes do mercado internacional e ele segue os quatro pilares que são recomendados pelo “Green Bond Principles”, “Social Bond Principles” e Sustainability Bond Principles”. Para a realização da emissão e para o estabelecimento do nosso framework, a gente passou por uma avaliação de uma empresa conceituada no mercado internacional e que foca em questões de sustentabilidade, de governança e ambientais, para fazer a avaliação do nosso framework e da nossa emissão. Essa agência conceituada, ela emitiu uma opinião em relação ao o que o Itaú fez, tanto no framework quanto na dívida, e eles chegaram à conclusão que o Itaú, dando às suas políticas e práticas ESG, estava em uma ótima situação, em uma ótima maneira para realizar essa transação. E agora indo um pouquinho para a sua pergunta na parte de como que a gente garante, né, que a captação ela vai ser investida em projetos sociais e ambientais, eu acho que... existe uma governança montada dentro do Banco para que faça esse controle. Então, em um primeiro momento, a gente vai olhar a nossa carteira de ativos e vai escolher os projetos que estão alinhados com os critérios de elegibilidade, que foram descritos no framework, depois vai ser feita uma avaliação minuciosa por aquele grupo que eu mencionei na nossa..., mais cedo durante a nossa conversa, que participaram da elaboração do framework, para analisar e ter certeza que esses projetos, eles estão alinhados com as características do framework. Depois disso a gente vai ter todo um gerenciamento e controle dos recursos levantados, né, para comparar o volume dos projetos alocados versus o volume total do bond. E por último, a gente tem um reporte que vai ser feito para os investidores e também que vai estar disponível para o público em geral, aonde a gente vai explicar cada uma das categorias, né, elegíveis, que a gente está alocando ativos, e vai colocar um pouquinho de informações em relação aos projetos que estão nessas categorias.

Cassio Politi: Para a gente fechar esse nosso papo a três tão produtivo aqui, Virgínia, eu queria perguntar para você, né, qual a mensagem que o Itaú Unibanco deixa para os seus investidores, né, quando ele realiza uma operação como essa.

Virgínia Gonçalves: Eu acho que é mais um passo, Cassio, que a gente está dando para mostrar que sustentabilidade tem sido integrada aos negócios da Instituição, porque a gente quer evoluir dessa visão de que sustentabilidade está associado só com empresas que lidam com florestas, com recursos naturais ou problemas sociais, né. Um banco que nem o Itaú, pode fazer muito do ponto de vista de sustentabilidade. Então, estabelecer diligência de risco, né, para financiar projetos tendo em vista os potenciais impactos socioambientais é um passo, né, e o Banco já tem trabalhado nisso há bastante tempo. E além da avaliação de risco, o que a gente está falando aqui é focar em setores que promovem mudanças positivas na sociedade. Então, essa é uma meta da nossa Agenda de Compromissos de Impacto Positivo. Então, a mensagem que fica, eu acho, para o investidor do Itaú e até para um potencial investidor, é que eles têm que considerar que essa emissão de título de dívida aqui é mais uma contribuição que o Banco oferece para uma economia mais verde e inclusiva. Então, é mais uma sinalização de que sustentabilidade é importante para o Banco.

Cassio Politi: Claro! Virgínia, quero te agradecer muito por esse papo aqui, foi muito esclarecedor. Então, obrigado, e espero revê-la em breve aqui em mais um Investcast Itaú Unibanco.

Virgínia Gonçalves: Super obrigada, Cassio, adorei, também, participar.

Cassio Politi: Paula, também quero te agradecer muito. Obrigada por participar e trazer informações tão esclarecedoras.

Paula de La Fuente: Obrigada pelo convite, mais uma vez, Cassio. E fiquei muito feliz por fazer parte desse podcast.

Cassio Politi: Fica sempre com o radar ligado porque a gente vai ter mais episódios pela frente. Acompanha também o nosso site de Relações com Investidores e deixa sempre a sua sugestão de temas para as próximas edições do podcastInvestcast. Nosso e-mail para contato é o relacoes.investidores@itau-unibanco.com.br. Eu espero você nos próximos programas. Até lá.