Itaú BBA - Volatilidade nos mercados

Semana em Revista

< Voltar

Volatilidade nos mercados

Maio 19, 2017

Incertezas políticas e aversão ao risco pressionam mercados.

Eventos políticos elevam as incertezas no Brasil

Emprego formal acima do esperado em abril

Volatilidade também nos mercados globais

China: resultados de atividade mais fracos em abril

Eventos políticos elevam as incertezas no Brasil

O Supremo Tribunal Federal divulgou gravação de conversa – a partir de acordo de delação premiada – envolvendo o presidente Michel Temer e empresário do setor privado. Em pronunciamento oficial, o presidente destacou que não irá renunciar ao posto. Os acontecimentos contribuíram para elevar as incertezas na esfera política, gerando volatilidade no mercado doméstico. Na semana, a taxa de câmbio chegou a depreciar 9,8%, atingindo 3,40 reais por dólar e o índice de ações Ibovespa recuou 7,3% (Gráfico 1).

Senado aprova projeto de renegociação das dívidas dos estados

O Senado aprovou, com 56 votos a favor e 9 contra, o texto base do projeto de renegociação das dívidas dos estados. A medida suspende por três anos o pagamento das dívidas dos estados em calamidade financeira com a União, em troca de contrapartidas, como ajustes estruturais nas contas fiscais.

Indicador de atividade do BC recua 0,44% em março

O índice de atividade do Banco Central (IBC-Br) recuou 0,44% em março, após ajuste sazonal. Apesar da queda no mês, o resultado veio acima das expectativas, reforçando nosso cenário de crescimento do PIB no primeiro trimestre do ano.

Emprego formal acima do esperado em abril

Segundo o ministério do trabalho, a criação de empregos formais (CAGED) foi de 59,9 mil em abril, acima das expectativas. Esse é o primeiro mês com criação líquida de empregos em abril (sem considerar ajuste sazonal) desde 2014, apesar de a variação dessazonalizada ser de destruição de 34 mil empregos (Gráfico 2). O resultado compensa em parte a surpresa negativa observada no mês anterior.

Volatilidade também nos mercados globais

A divulgação de documento oficial contendo uma conversa entre o presidente americano, Donald Trump, e o então diretor do FBI, James Comey, levou à especulações sobre tentativa de obstrução da investigação do FBI sobre a possível interferência russa na eleição presidencial do ano passado, que poderia envolver a campanha do presidente Trump. A decorrente incerteza com a estabilidade política nos EUA levou a um movimento de aversão ao risco nos mercados globais (Gráfico 3).

China: resultados de atividade mais fracos em abril

Em abril, o crescimento da produção industrial apresentou um forte recuo para 6,5% (ante 7,6% no mês anterior), resultado abaixo das expectativas. Os dados de investimento fixo também vieram abaixo do esperado. Já as vendas no varejo ficaram praticamente estáveis. Apesar dos resultados, comunicações recentes sugerem que o banco central adotará maior cautela com sua, recentemente implementada, política monetária mais restritiva. O objetivo da autoridade monetária é mitigar os riscos de uma desaceleração brusca na economia chinesa.

Destaques da próxima semana              

No Brasil, o IBGE divulga o IPCA-15 de maio na terça-feira. Do lado fiscal, destaque para os dados de arrecadação federal, ainda sem data definida, e o resultado primário na  sexta-feira (ambos para abril).

Do lado internacional, as sondagens de atividade econômica (PMI, na sigla em inglês) da zona do euro serão divulgadas na terça-feira. Na quarta-feira, as atenções estarão voltadas para a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Fed, banco central americano. Por fim, destaque para a reunião da Opep marcada para quinta-feira.


Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf anexo.

 

 



< Voltar