Itaú BBA - Produção industrial sobe 0,2% em novembro

Semana em Revista

< Voltar

Produção industrial sobe 0,2% em novembro

Janeiro 5, 2018

Os indicadores ligados à formação bruta de capital fixo seguem consistentes com crescimento

Produção industrial mantém tendência de alta
 

Após três anos de quedas, setor de veículos apresenta recuperação em 2017

Superávit comercial recorde em 2017

Foram criados 148 mil empregos em dezembro nos EUA

Produção industrial mantém tendência de alta

A produção industrial subiu 0,2% em novembro, acima das expectativas de mercado (Gráfico 1). Vale destacar que os setores ligados ao investimento seguem crescendo de forma consistente com a recuperação gradual da atividade econômica. A produção de bens de capital ficou estável na margem após sete altas consecutivas, enquanto a produção de insumos da construção civil subiu 1,0% e acumula alta de 5,0% desde abril. 

Os primeiros indicadores coincidentes (confiança da indústria, utilização da capacidade instalada, dados semanais de comércio exterior e consumo de energia, prévias do setor de automóveis, entre outros) sinalizam avanço de 1,0% da produção industrial em dezembro, o que representa uma alta de 1,6% na comparação anual.

Após três anos de quedas, setor de veículos apresenta recuperação em 2017

A produção de veículos no Brasil fechou com alta de 25,2% em 2017, segundo a Anfavea. Em dezembro, foram produzidos 214 mil veículos (Gráfico 2), alta de 7,6% no mês, após ajuste sazonal. Do lado das vendas, segundo a Fenabrave, foram vendidos 213 mil unidades novas em dezembro, uma queda de 2,8% ante o mês anterior, após ajuste sazonal. Com o resultado, as vendas de veículos em 2017 registraram alta de 9,23%, vis-à-vis um recuo de 20% no ano de 2016. Olhando à frente, o setor deve continuar a se recuperar ao longo de 2018, à medida que a estabilização no mercado de trabalho e os níveis baixos de juros contribuem para melhora nas vendas de veículos nacionais. 

Superávit comercial recorde em 2017

A balança comercial teve forte superávit pelo terceiro ano consecutivo, registrando US$ 67,0 bi em 2017 (Gráfico 3). O aumento das exportações foi maior do que a alta das importações garantindo um resultado positivo. Em dezembro, o superávit foi de US$ 5,0 bi, com US$ 17,6 bi de exportações e US$ 12,6 bi de importações. Ao longo de 2017, o desempenho favorável das exportações (ajudado pelos preços médios mais elevados de commodities e pelas super-safras agrícolas), e das importações, que seguiram em patamar baixo (apesar do aumento na comparação anual), garantiram o superávit comercial recorde. Para os próximos anos, no entanto, esperamos que a combinação de alguma recuperação da demanda doméstica e preços de commodities (em média) mais baixos resultem em números mais fracos para a balança comercial.

Foram criados 148 mil empregos em dezembro nos EUA

A criação de empregos formais da economia americana foi de 148 mil no mês de dezembro (Gráfico 4), resultado abaixo das expectativas. Enquanto que a taxa de desemprego se manteve no baixo patamar de 4,1%. Do lado dos salários, a variação dos salários por hora trabalhada nos últimos 12 meses apresentou um leve avanço para 2,5% (ante 2,4% no mês anterior). Na nossa visão, o crescimento da atividade econômica acima do potencial deve aumentar gradualmente os salários e a inflação. 

Acreditamos que esta perspectiva econômica é consistente com três aumentos na taxa de juros em 2018, de 0,25 p.p. cada. A comunicação recente do Fed – Banco Central americano – conforme divulgado em sua última ata de política monetária, reforça nossa visão sobre a trajetória da taxa de juros, à medida que a autoridade manteve indicação de postura gradual de política monetária e percepção de riscos balanceados para o cenário econômico prospectivo.

Destaques da próxima semana 

No Brasil, as vendas no varejo para o mês de novembro serão divulgadas na terça-feira. Na quarta-feira, o IBGE divulga a inflação do IPCA de dezembro, para a qual projetamos alta de 0,32% no mês, encerrando o ano de 2017 com alta de 2,8%, abaixo do limite inferior da meta de inflação (3%). Na sexta-feira, os dados de receita real do setor de serviços de novembro devem ser divulgados.

Do lado internacional, as atenções estarão voltadas para a divulgação, na sexta-feira, dos dados de inflação ao consumidor e vendas no varejo da economia americana (ambos para dezembro).



< Voltar