Itaú BBA - Greve dos caminhoneiros foi o destaque da semana

Semana em Revista

< Voltar

Greve dos caminhoneiros foi o destaque da semana

Maio 25, 2018

O governo reduzirá a zero o CIDE sobre combustíveis até o final do ano, gerando uma queda de R$ 1,5 bilhões na arrecadação

Governo anuncia medidas visando o fim da greve dos caminhoneiros 

Ata do Copom indica Selic estável no cenário base

IPCA-15 sobe 0,14% em maio, abaixo do piso das expectativas

Zona do euro tem queda nos índices de confiança

Governo anuncia medidas visando o fim da greve dos caminhoneiros, que continua nesta sexta-feira

O governo reduzirá a zero o CIDE sobre combustíveis até o final do ano, gerando uma queda de R$ 1,5 bilhões na arrecadação. Anteriormente, a Câmara dos deputados havia aprovado uma medida que zerava o PIS/Cofins sobre o diesel, o que traria um impacto de R$ 20 bilhões nas contas fiscais em termos anuais, contudo,  esta aprovação foi revogada. Além disso, os preços do diesel serão reduzidos em 10% e permanecerão estáveis pelos próximos 30 dias ao invés dos 15 propostos anteriormente. Foi acordado que depois destes 30 dias, os preços não serão ajustados diariamente, mas de 30 em 30 dias. O governo compensará a Petrobrás pelas perdas que podem ocorrer durante esse tempo em que os preços não serão ajustados, e com isso, concederá algum suporte temporário até o próximo ajuste de preços. Com estas medidas o governo tem a expectativa que a greve termine. No entanto, nesta sexta-feira ainda há bloqueios nas estradas e dificuldades de abastecimento.

Ata do Copom indica Selic estável no cenário base

O Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil (Copom) publicou a ata de sua última reunião, sinalizando que seria adequado manter a taxa Selic estável em 6,5% nas próximas reuniões, dado o atual balanço de riscos e as projeções de inflação em níveis que a autoridade monetária considera confortáveis. Além disso, o Copom observou que a intensidade do repasse da recente depreciação depende de vários fatores, como o nível de ociosidade na economia e da ancoragem das expectativas de inflação. Portanto, deve pesar para as próximas decisões o comportamento das diferentes medidas de repasse cambial, que permitirá avaliar a intensidade do impacto de oscilações cambiais sobre os níveis de preços e a necessidade – ou não – de ações de política monetária que visem combater seus efeitos secundários. Nosso cenário base é de que a taxa Selic permanecerá estável em 6,5% até o final do ano, mas a postura da política monetária continuará dependente da dinâmica da taxa de câmbio e, em especial, de seu impacto nos dados de inflação e expectativas de inflação, particularmente para 2019.

IPCA-15 sobe 0,14% em maio, abaixo do piso das expectativas

O IPCA-15 registrou variação de 0,14% em maio, resultado abaixo do piso das expectativas de mercado (0,20%). O índice havia registrado variação de 0,21% no mês anterior e de 0,24% em maio do ano passado. Com isso, a alta acumulada no ano atingiu 1,23%, com a taxa em 12 meses recuando para 2,70%, ante 2,80% em abril (Gráfico 1). A nossa projeção preliminar para o IPCA do mês fechado aponta variação de 0,25%, com a taxa em 12 meses recuando para 2,70%, ante 2,76% em abril. Para o ano, a nossa projeção para a inflação segue em 3,7%.

Zona do euro apresenta queda nos índices de confiança

Os índices PMI da zona do euro recuaram em maio, tanto no componente de serviços quanto no de manufatura. O índice composto recuou para 54,1, abaixo das expectativas de mercado (55,1) e agora sinaliza um crescimento em torno de 0,5% no segundo trimestre. Embora permaneça em patamares elevados, esse resultado coloca um viés de baixa para crescimento do 2T18. Os indicadores da Alemanha registraram uma queda acentuada no mês. Na França, por outro lado, o PMI de manufatura apresentou alta, enquanto o de serviços teve um resultado mais fraco.

Destaques da próxima semana 

No Brasil, as atenções estarão voltadas para a divulgação do PIB do primeiro trimestre na quarta-feira. Do lado político, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o IBOPE realizará, no estado de São Paulo,  uma pesquisa de intenção de votos para presidente, que pode ser divulgada a partir de segunda-feira.

Do lado internacional, os destaques são a divulgação do PIB dos EUA, do PMI de manufatura da China, e da inflação na zona do euro, todos na quarta-feira.


 



< Voltar