Itaú BBA - Semana em Revista
  • Ocupação de UTIs recua na maior parte do país  

    Reflexo da queda nas utilizações de UTIs, o estado de São Paulo irá implementar uma nova fase do plano de flexibilização da quarentena

  • Brasil supera marca de 10% da população vacinada   

    Abril deve marcar a vacinação da maior parte da população idosa, o que deve ajudar a melhorar a dinâmica da pandemia nos meses seguintes.

  • Vacinação acelera, mas pandemia segue piorando no Brasil  

    Deterioração da pandemia se reflete em aumento de pressão no sistema de saúde.

  • Pandemia segue piorando no Brasil, mas sinais incipientes de melhora em SP   

    Apesar de nova piora do surto, há sinais incipientes de alívio em SP

  • Sistema de saúde sob pressão no Brasil  

    Diante do aperto da pandemia, os sistemas hospitalares seguem sob forte pressão

  • PEC Emergencial é aprovada em semana de turbulência   

    A votação da PEC Emergencial foi concluída pelo Congresso, após aprovação, nesta semana, em dois turnos pela Câmara dos Deputados.

  • Surto da pandemia atinge níveis recordes no Brasil  

    A piora na curva de novas infecções foi generalizada entre todas as regiões

  • Votação da PEC Emergencial no Senado pode ocorrer na próxima semana  

    A votação da PEC Emergencial está prevista para ocorrer na quarta-feira (3).

  • Votação da PEC Emergencial pode ser pautada na próxima semana  

    Por se tratar de uma PEC, o texto precisa passar por dois turnos de votações em cada casa legislativa

  • Discussões em torno de nova rodada do auxílio emergencial no centro das atenções  

    As pressões pela reedição do benefício aumentaram recentemente, em razão da piora da pandemia e recuperação econômica ainda lenta.

  • Câmara e Senado elegem novos presidentes  

    Os mandatos dos presidentes eleitos terão duração até o início de 2023.

  • Campanha de imunização avança em ritmo ainda moderado no Brasil  

    O progresso da vacinação no Brasil segue dependente de importações, seja das vacinas prontas, ou dos insumos para produção local.

  • Vacinação começa no Brasil  

    Os riscos relacionados a capacidade do país de importar insumos para a produção de vacinas seguem no centro das atenções.

  • À espera da vacina  

    O país aguarda aprovação por parte da Anvisa para fazer uso emergencial das vacinas de Oxford/AstraZeneca e da CoronaVac.

  • Resultados de eficácia da Coronavac são divulgados no Brasil  

    Com o pedido de uso emergencial da vacina, começa a valer o prazo de dez dias para a Anvisa analisar e se manifestar

  • Reino Unido aprova vacina da Oxford/AstraZeneca  

    Aprovação no país europeu cria precedentes relevantes para países emergentes, incluindo o Brasil.

  • Nova cepa do coronavírus eleva preocupações; vacinação segue em curso  

    Recentemente, a descoberta de uma nova cepa do coronavírus no Reino Unido, chamada de B.1.1.7, gerou turbulência nos mercados globais.

  • Distribuição de vacinas começa nos EUA  

    Nos EUA, as primeiras doses da vacina contra o coronavírus começaram a ser aplicadas nessa semana.

  • Forward guidance do Copom sob ameaça  

    BC indica que condições para abandonar o forward guidance podem estar presentes na sua próxima reunião.

  • Redução da incerteza fiscal e PIB em recuperação  

    A semana foi marcada por movimentos expressivos nas cotações de ativos de risco em reação às sinalizações fiscais.

  • Criação de empregos formais surpreende em outubro  

    Ajustando pela sazonalidade, houve criação líquida de 348 mil postos de trabalho no mês (ante 260 mil em setembro).

  • Sinais de desaceleração da pandemia na Europa  

    Nesta semana, observou-se melhora na evolução da pandemia em países importantes da Europa, como França e Espanha.

  • Varejo e serviços seguem se recuperando em setembro  

    Dados mais recentes confirmam nossas expectativas de recuperação sólida no 3T20, particularmente no setor de bens.

  • Biden se aproxima da vitória nas eleições americanas  

    Em eleição acirrada, o candidato Democrata está à frente na contagem de votos

  • Pandemia segue acelerando na Europa e EUA  

    Avanço da segunda onda de Covid-19 na Europa e EUA leva a novos lockdowns. No Brasil, criação de emprego formal fica acima das expectativas.

  • IPCA-15 acima das expectativas em outubro  

    Nossa projeção para o IPCA em 2020 está em 3,2%.

  • Pandemia volta a acelerar na Europa e nos EUA  

    Com uma tendência de alta que vai ficando mais intensa na região, a Europa segue superando seus próprios recordes de novos casos.

  • IPCA de setembro acima das expectativas de mercado  

    Revisamos nossa projeção de inflação de 2,5% para 3,0% em 2020

  • Produção industrial cresce 3,2% em agosto  

    Produção industrial segue em tendência de alta

  • IPCA-15 sobe 0,45% em setembro  

    Pressão em alimentos deve continuar nas próximas leituras.

  • Copom mantém taxa Selic em 2,0% a.a.  

    O comitê manteve a taxa Selic em sua mínima histórica de 2,0% a.a., em decisão unânime.

  • Varejo restrito supera patamar pré-crise em julho, mas serviços ainda estão em nível mais baixos   

    As vendas no varejo tiveram crescimento robusto e acima das expectativas em julho. Já o volume de serviços segue aquém dos níveis pré-crise.

  • PIB recua 9,7% no segundo trimestre  

    Seguimos projetando queda do PIB de 4,5% neste ano e alta de 3,5% no ano que vem

  • Semana marcada por dúvidas sobre futuro das contas públicas  

    A semana foi marcada por debates sobre fatores que devem definir a dinâmica das contas públicas nesse ano e, principalmente, nos próximos.

  • Câmara mantém veto a reajuste de servidores  

    Segundo o Ministério da Economia, a eventual reversão do veto representaria um impacto fiscal de R$ 130 bilhões.

  • Vendas no varejo têm recuperação significativa em junho  

    As vendas no varejo ampliado cresceram 12,6% com ajuste sazonal de maio para junho, mais forte do que as expectativas do mercado.

  • Copom reduz taxa Selic para 2,00%  

    Acreditamos que o Copom manterá a taxa Selic inalterada pelo menos até o final de 2020, em 2,0% a.a.

  • Emprego formal teve resultado melhor que o esperado em junho  

    A queda no emprego formal em junho foi concentrada no setor de serviços.

  • Governo propõe simplificação tributária  

    Se aprovado, o novo imposto terá alíquota geral de 12%, será exclusivamente não-cumulativo e válido seis meses após a sua publicação.

  • PIB da China cresce 3,2% no 2T20  

    O PIB chinês cresceu 3,2% no segundo trimestre do ano em relação ao mesmo período de 2019, após contração histórica no trimestre anterior.

  • Varejo avança, mas serviços recuam em maio  

    Crescimento difundido entre os setores do varejo em maio; receita real do setor de serviços recua pelo quarto mês consecutivo

  • Destruição de empregos formais menos intensa que o esperado em maio  

    Ajustando pela sazonalidade, houve queda de 345 mil postos de trabalho em maio.

  • Ata do Copom indica Selic estável à frente  

    A nosso ver, a ata reforçou a percepção de Selic estável na próxima reunião e, provavelmente, durante o restante do ano.

  • Copom reduz taxa Selic para 2,25%  

    Taxa Selic deve permanecer neste nível até o final do ano. Dados de atividade econômica sugerem que o pior já passou.

  • Mercado de trabalho americano reage antes do esperado  

    A taxa de desemprego nos EUA recuou para 13,3% (ante 14,7% no mês anterior), resultado bem melhor que as expectativas de mercado (19,1%).

  • PIB brasileiro recua 1,5% no 1T20  

    Alguns setores se mostraram mais resilientes à crise, enquanto outros sofreram intenso impacto negativo.

  • Brasil no centro das atenções globais  

    Rússia e Brasil passaram a ocupar, respectivamente, a 2a e a 3a posição global em termos do total de casos, atrás apenas dos EUA.

  • Tensões entre EUA e China se acentuam  

    A possível continuidade da deterioração nas relações entre os dois países pode ameaçar a manutenção do acordo comercial em vigência.

  • Copom reduz taxa Selic para 3,00% a.a.  

    O Copom reduziu a taxa Selic para 3,0% a.a. e sinalizou um corte final em junho

  • Taxa de desemprego alcança 12,2% em março  

    Desemprego abaixo das expectativas por conta da queda na força de trabalho

  • Nova mudança no governo brasileiro  

    Na manhã de hoje, Sérgio Moro anunciou sua saída do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

  • Senado aprova PEC do orçamento de guerra  

    Como parte do conteúdo sofreu alteração, a PEC agora volta para apreciação final na Câmara.

  • Novos casos de Covid-19 seguem no centro das atenções  

    A Itália registrou nesta semana o menor número de novos casos desde a primeira quinzena de março

  • Novos casos de Covid-19 aceleram no Brasil e nos EUA  

    Governos continuam a anunciar medidas de estímulos para enfrentar a pandemia

  • Coronavírus impacta economia global  

    O Covid-19 se espalhou globalmente, e pode levar o mundo a registrar recessão em 2020.

  • Coronavírus é declarado pandemia  

    Mercados globais passaram nessa semana por uma correção intensa de preços de ativos.

  • Coronavírus segue pressionando mercados  

    Doença parece ter se estabilizado na China, mas se difundiu globalmente.

  • Novos casos de coronavírus pressionam mercados globais  

    O aumento das incertezas foi refletido em diferentes mercados

  • BCB intervém no mercado de câmbio  

    Após movimento de forte depreciação, o real atingiu sua máxima histórica nesta semana

  • Copom reduz taxa Selic para 4,25% a.a.  

    O Copom decidiu interromper o processo de flexibilização monetária.

  • Desemprego encerra 2019 em 11,6%, após ajuste sazonal  

    Olhando à frente, projetamos declínio lento da taxa de desemprego, apesar da gradual aceleração da atividade econômica.

  • Sinais ambíguos para a atividade em novembro  

    Atividade permanece em tendência gradual de aceleração, mas com alguns sinais mais fracos na margem.

  • Inflação fecha 2019 em 4,3%  

    O índice fechou o ano em 4,31% (ante 3,75% em 2018), ficando próximo da meta (4,25%).

  • Eventos globais marcam a primeira semana do ano  

    Mercados globais reagem às tensões geopolíticas.

  • Desemprego recua em novembro  

    Projetamos um declínio gradual da taxa de desemprego para 11,9% até o final deste ano e 11,5% até o final de 2020

  • Dados fortes dão sinal mais claro de aceleração no Brasil  

    Indicadores de atividade muito acima das expectativas impulsionaram o tom de otimismo na semana.

  • Copom reduz taxa Selic para 4,50% a.a.  

    O comunicado do comitê não se compromete com cortes adicionais na taxa de juros, mas também não os exclui

  • Atividade mostra novos sinais de recuperação gradual  

    PIB surpreende e acena novamente com aceleração gradual

  • Real sob pressão  

    Real atingiu sua máxima histórica nominal, levando o BCB a intervir.

  • Emprego formal segue avançando em outubro  

    Dados livres de efeitos sazonais apontam para criação de 63 mil postos de trabalho no mês.

  • Varejo e serviços avançam em setembro  

    O crescimento das vendas no varejo foi generalizado entre seus componentes

  • Governo anuncia próximos passos da agenda fiscal  

    As medidas fortalecem o marco institucional fiscal e são positivas para a conclusão do ajuste fiscal.

  • Copom reduz taxa Selic para 5,00% a.a.  

    O comunicado indica que o próximo passo de política monetária provavelmente será outro corte de 0,50 p.p.

  • Aprovada a reforma da Previdência no Brasil  

    Com a aprovação da reforma da previdência de forma definitiva, o governo deve enviar, agora, novas propostas para aprofundar o ajuste fiscal

  • Criação de emprego surpreende positivamente em setembro  

    Dados livres de efeitos sazonais apontam para criação de 65 mil postos de trabalho.

  • Negociações comerciais entre EUA e China avançam  

    As negociações contribuem para o caminho para um eventual acordo mais amplo a ser assinado pelos presidentes Donald Trump e Xi Jinping.

  • Senado aprova texto base da reforma da Previdência  

    O impacto fiscal atual da proposta é de R$ 735 bilhões acumulado em dez anos. Há expectativa que a votação em segundo turno seja concluída antes do fim do mês.

  • Resultados de atividade ainda ambíguos, mas sinalizando possível aceleração  

    Criação de emprego formal e taxa de desemprego surpreenderam em direções opostas.

  • Copom reduz taxa Selic para 5,50% a.a.  

    O comunicado da reunião indica que um corte adicional de 0,50 p.p. é provável na reunião de outubro.

  • Atividade em julho surpreende positivamente  

    Ainda que de forma errática, economia acenou recuperação em julho, com avanços expressivos no setor de comércio e serviços.

  • Produção industrial recua em julho  

    Os dados continuam a indicar ritmo lento de recuperação da atividade econômica.

  • PIB cresce 0,4% no segundo trimestre  

    Setor de construção é destaque positivo, crescendo 1,9%.

  • Mercado argentino sob pressão após eleições primárias  

    A diferença de 15 p.p. entre os candidatos surpreendeu as expectativas, resultando em pressão nos principais indicadores financeiros do país.

  • Reforma da previdência é encaminhada ao Senado  

    O próximo passo é a discussão na Comissão e Constituição e Justiça do Senado, que possivelmente terá início na próxima semana.

  • Copom reduz taxa básica de juros para 6% ao ano  

    Em meio à atividade fraca, inflação benigna e a primeira votação da reforma da previdência no Congresso, o Copom cortou a Selic em 0,50 p.p.

  • Indicadores de confiança têm evolução ambígua em julho  

    O desempenho recente dos indicadores de confiança é consistente com ritmo moderado da atividade.

  • Economia tem primeiro mês positivo em 2019  

    O destaque foi o indicador de atividade IBC-Br, que registrou o primeiro crescimento desde o início do ano.

  • Câmara aprova texto base da reforma da Previdência  

    Texto principal da reforma é aprovado na Câmara dos Deputados, com margem expressiva de votos favoráveis

  • Reforma da Previdência avança para plenário da Câmara  

    O texto segue para análise da Câmara, onde precisa ser aprovado em dois turnos, com mínimo de 308 votos, antes de ir para o Senado.

  • Confiança interrompe sequência de queda em junho  

    A maior parte dos indicadores de confiança de junho apresentou alta, interrompendo a sequência de quedas dos últimos meses.

  • Copom pronto para retomar ciclo, condicional à reforma  

    O comunicado abre caminho para a retomada do ciclo de flexibilização monetária, desde que haja “avanços concretos” na agenda de reformas

  • Relator apresenta parecer sobre Previdência na Comissão Especial da Câmara  

    Após acordo com centro, previdência pode ter trâmite acelerado no Congresso

  • Produção industrial cresce em abril, apesar da queda na indústria extrativa  

    Há uma tendência moderada de recuperação da indústria de transformação

  • PIB recua 0,2% no primeiro trimestre do ano  

    Para o 2T19, nossa projeção preliminar é de apenas ligeiro crescimento do PIB, de 0,1%.

  • Foram criados 130 mil empregos formais em abril  

    Dados livres de sazonalidade apontam para avanço de 50 mil postos de trabalho

  • Atividade econômica continua piorando  

    Mês foi marcado por recuos nos indicadores de atividade econômica.

  • Copom mantém Selic em 6,5% ao ano  

    O comunicado pós-reunião sugere que as autoridades estão menos otimistas quanto ao ritmo de recuperação da economia.

  • Queda disseminada da produção industrial  

    A fraqueza na indústria foi disseminada entre os componentes

  • CCJ da Câmara sanciona a reforma da previdência  

    CCJ aprovou nesta semana a admissibilidade da proposta de reforma da Previdência por 48 votos a 18.

  • PIB da China em ritmo de 6,4% no 1T19  

    O processo de desaceleração do crescimento chinês começa a dar sinais de inflexão, oferecendo perspectivas melhores à frente.

  • Crescimento menor, queda de juros condicional às reformas  

    Reduzimos projeções de PIB em 2019 (para 1,3%) e 2020 (para 2,5%), e passamos a projetar a Selic em 5,75% para 2019 e 5,5% para 2020.

  • Produção industrial impactada por setor extrativo  

    A indústria extrativa recuou no mês (-14,8%), em partes refletindo a redução da produção após o rompimento da barragem em Brumadinho.

  • Mercado de trabalho em ritmo lento de recuperação  

    Olhando à frente, projetamos que a taxa de desemprego recue para 11,8% até o fim de 2019 e 11,5% ao fim de 2020.

  • Governo apresenta reforma da previdência dos militares  

    Se a proposta for aprovada, economia líquida esperada é de R$ 10,45 bilhões em dez anos.

  • Inflação comportada e atividade fraca no início de 2019  

    Dados corroboram IPCA bem comportado e atividade fraca no início de 2019

  • PIB cresce 1,1% em 2018  

    A recuperação que começou em 2017 segue tímida em comparação às quedas do PIB em 2015 (-3,5%) e 2016 (-3,3%)

  • Governo apresenta reforma da Previdência ao Congresso  

    A proposta de reforma enviada pelo governo implica economia de 2,7% do PIB em 2027 (ou R$ 1,1 trilhão no acumulado em 10 anos).

  • Varejo recua em dezembro, com devolução de Black Friday e queda em veículos  

    Entre os dez setores do varejo ampliado, apenas três subiram em dezembro

  • Copom mantém taxa Selic em 6,50% a.a.  

    A decisão do Copom foi em linha com as expectativas. No entanto, o comunicado foi mais austero do que antecipávamos.

  • Produção industrial sobe 1,1% em 2018  

    No mês de dezembro, a produção industrial avançou 0,2% na comparação mensal dessazonalizada.

  • Foram criados 530 mil empregos formais em 2018  

    O resultado acumulado de 2018 foi o maior ritmo anual de criação de empregos desde 2012.

  • Vendas no varejo surpreendem, influenciadas pela Black Friday  

    Projetamos queda em dezembro, com normalização após efeito temporário das promoções.

  • Retomada gradual da atividade com perspectiva de melhora fiscal  

    Esperamos déficits primários minguantes de 1,7% do PIB em 2018, de 1,3% em 2019 e 0,8% em 2020

  • Jair Bolsonaro toma posse como presidente do Brasil  

    O novo presidente disse que implementará reformas destinadas a garantir a sustentabilidade das contas públicas.

  • Mercado de trabalho segue em recuperação gradual  

    Mercado de trabalho segue em recuperação gradual.

  • Criação de emprego formal segue melhorando no 4T18  

    Com este resultado, a média móvel de 3 meses avançou de 63 mil para 71 mil empregos

  • Cenário de Selic estável ganha força  

    O comunicado trouxe mudanças importantes, todas em direção mais benigna para a inflação prospectiva

  • Inflação baixa em novembro  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de dezembro aponta variação de 0,17%

  • PIB avança 0,8% no terceiro trimestre  

    O resultado foi distorcido pelo efeito direto da paralisação dos caminhoneiros no 2T18.

  • Mercado de trabalho segue avançando em outubro  

    Dados livres de sazonalidade apontam para a criação de 51 mil empregos no mês.

  • Banco Central será comandado por Roberto Campos Neto  

    A escolha aconteceu após o atual presidente, Ilan Goldfajn, recusar a oferta, alegando motivos pessoais

  • Novo governo, mesmos desafios  

    Revisamos nossa projeção de crescimento do PIB para 2,5% em 2019

  • Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil  

    Jair Bolsonaro obteve 55,1% dos votos válidos, contra 44,9% de seu adversário.

  • À espera do segundo turno  

    O segundo turno das eleições presidenciais acontece neste domingo.

  • Receita de serviços surpreende em agosto  

    A alta de 1,2% no mês de agosto compensou parcialmente a queda de 2% no mês anterior

  • Jair Bolsonaro lidera a corrida presidencial  

    Jair Bolsonaro (PSL) obteve 46% dos votos válidos no primeiro turno das eleições presidenciais

  • Esperando a voz das urnas  

    O primeiro turno das eleições acontece neste domingo.

  • Decisão do Copom de outubro está indefinida  

    Diante de um balanço de riscos assimétrico, pendendo para uma inflação mais alta, o Copom sinaliza que está pronto para agir

  • Taxa Selic estável, por ora  

    O Copom tomou a decisão amplamente esperada de manter a taxa Selic inalterada em 6,5% a.a

  • Vendas no varejo recuam em julho  

    Os resultados mais fracos nas vendas no varejo vieram em linha com outros indicadores de atividade já divulgados para julho e agosto.

  • Cenário mais volátil para a economia brasileira  

    As incertezas internacionais e domésticas pressionaram o real no último mês, depois de alguma trégua em julho

  • PIB cresce 0,2% no segundo trimestre  

    Olhando à frente, projetamos crescimento do PIB de 1,3% em 2018 e de 2,0% em 2019

  • Caged aponta criação de 47 mil vagas em julho  

    Apesar da alta no mês, a média móvel de 3 meses recuou para 4 mil ante 6 mil, mantendo a tendência de deterioração recente.

  • Desequilíbrio externo na Turquia no centro das atenções  

    A forte depreciação da moeda da Turquia tem provocado elevação das incertezas nos mercados globais, com reflexo nas moedas de países emergentes

  • Atividade econômica segue enfraquecendo  

    Produção normaliza em junho, mas crescimento subjacente perde força

  • Copom mantém taxa Selic em 6,50% a.a.  

    O Copom tomou a decisão amplamente esperada de manter a taxa básica inalterada em 6,50% p.a., sem viés, em uma decisão unânime

  • EUA e UE fazem acordo para evitar escalada de disputas comerciais  

    Os dois lados trabalharão para zerar tarifas comerciais, reduzir barreiras não tarifárias e subsídios

  • IPCA-15 sobe 0,64% em julho, abaixo das expectativas  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA do mês fechado aponta variação de 0,28%, com a taxa em 12 meses mantendo-se estável em 4,4%.

  • Dados de atividade normalizam em junho  

    Após recuo na maior parte dos indicadores de maio, dados divulgados para o mês de junho começam a mostrar um quadro de reversão.

  • Incertezas dificultam a recuperação da economia brasileira  

    A contínua deterioração das condições financeiras nos levou a diminuir as projeções de crescimento do PIB para 1,3% em 2018 e 2,0% em 2019

  • Cenário eleitoral segue indefinido  

    A pesquisa Ibope de junho aumentou a incerteza em relação à eleição presidencial de outubro.

  • Copom mantém taxa Selic em 6,50%  

    As projeções de inflação do Copom para 2019 estão em linha com a sinalização de juros estáveis à frente

  • Atividade sobe em abril, mas deve recuar em maio  

    Resultados influenciados pelo maior número de dias úteis em abril

  • Cenário crescentemente desafiador no Brasil  

    As tensões nos mercados financeiros tem levado os bancos centrais a reagir

  • PIB cresce 0,4% no primeiro trimestre  

    O PIB apresentou crescimento dessazonalizado de 0,4% no 1T18, ligeiramente acima da nossa projeção

  • Greve dos caminhoneiros foi o destaque da semana  

    O governo reduzirá a zero o CIDE sobre combustíveis até o final do ano, gerando uma queda de R$ 1,5 bilhões na arrecadação

  • Copom mantém taxa Selic em 6,50%  

    Copom decide manter taxa Selic inalterada em 6,50%

  • Cenário mais complexo no Brasil  

    Reduzimos as projeções de crescimento do PIB de 3,0% para 2,0% em 2018 e de 3,7% para 2,8% em 2019.

  • Produção industrial recua 0,1% em março  

    O resultado fraco foi disseminado, com recuo de 14 de 24 atividades.

  • Taxa de desemprego atinge 13,1% em março  

    Usando nosso ajuste sazonal, o desemprego ficou estável em 12,5%.

  • Inflação segue em patamar baixo em abril  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de abril aponta variação de 0,30%

  • IPCA sobe 0,09% em março  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de abril aponta alta de 0,35%.

  • Produção industrial cresce menos que o esperado em fevereiro  

    A produção industrial subiu 0,2% em fevereiro, após ajuste sazonal, resultado abaixo das expectativas

  • Vendas no varejo crescem em janeiro  

    : As vendas no varejo apresentaram alta de 0,9% no conceito restrito e recuo de 0,1% no ampliado.

  • Inflação segue em níveis baixos em fevereiro  

    O IPCA apresentou variação de 0,32% em fevereiro, em linha com as expectativas.

  • PIB brasileiro cresce 1,0% em 2017  

    Este é o melhor ritmo do PIB anual desde 2013

  • Atividade economica acelerando e inflação baixa  

    Atividade econômica segue se recuperando no Brasil.

  • Copom perto do fim do ciclo  

    Mantemos a visão de que 6,75% ao ano será o nível final da taxa Selic neste ciclo.

  • Copom reduz taxa Selic em 0,25 p.p. para 6,75%  

    Estamos revisando nossa projeção da taxa Selic ao fim do ciclo de 6,50% para 6,75%, nível em que esperamos que continue ao longo do ano.

  • Produção industrial cresce 2,5% em 2017  

    Indústria fecha 2017 com o maior ritmo de crescimento anual da produção desde 2010.

  • Inflação segue em níveis confortáveis em Janeiro  

    Com base nos dados do IPCA-15 e de outras informações correntes, a nossa projeção preliminar para o IPCA de janeiro aponta alta de 0,37%.

  • PIB da China cresce 6,9% em 2017  

    Houve forte impulso para o crescimento anual vindo do setor externo.

  • Inflação encerra 2017 em 2,95%  

    De acordo com o IBGE, este foi o menor resultado anual para a inflação desde 1998.

  • Produção industrial sobe 0,2% em novembro  

    Os indicadores ligados à formação bruta de capital fixo seguem consistentes com crescimento

  • Desemprego segue recuando em novembro  

    Após ajuste sazonal, a taxa recuou para 12,5%, ainda influenciada pela alta do emprego no setor informal.

  • IPCA-15 fecha o ano com alta de 2,94%  

    O IPCA-15 registrou variação de 0,35% em dezembro, em linha com as expectativas.

  • Votação da Previdência adiada para 2018  

    Governo prevê a votação da proposta da reforma da Previdência no plenário da Câmara no dia 19 de fevereiro de 2018.

  • Economia melhor em meio a riscos maiores  

    Previdência volta ao debate, mas ainda há incerteza sobre aprovação no congresso

  • PIB do 3T17 mostra forte avanço da demanda doméstica  

    PIB cresceu 0,1% ante o trimestre anterior

  • Inflação segue baixa em novembro  

    O IPCA-15 registrou variação de 0,32% em novembro, abaixo das expectativas.

  • Vendas no varejo voltam a subir em setembro  

    Projetamos que as vendas no varejo sigam em alta nos próximos meses.

  • Um pouco mais perto do fim do ciclo  

    A data de término do ciclo de corte permanece em aberto.

  • Produção industrial sobe 0,2% em setembro  

    Resultado abaixo do esperado devido à surpresa na produção farmacêutica.

  • Copom reduz taxa Selic em 0,75p.p. para 7,50%  

    O comunicado da reunião sugere que o plano continua sendo de diminuir o ritmo de flexibilização de forma moderada

  • Inflação segue baixa em outubro  

    A taxa em 12 meses de inflação deve continuar a subir nos próximos meses, mas ainda em patamares confortáveis

  • Vendas no varejo recuam em agosto  

    Resultado abaixo das expectativas em agosto.

  • Inflação em queda abre espaço para juros marginalmente mais baixos  

    Reduzimos nossa projeção para a taxa Selic de 7,0% para 6,5% no início de 2018.

  • Desemprego continua a recuar em agosto  

    Usando nosso ajuste sazonal, o desemprego recuou de 12,7% para 12,6% em agosto, o quinto mês consecutivo de queda.

  • Taxa de juros baixa por um bom tempo  

    Dadas as projeções e a orientação do Copom, mantemos nossa visão de que o Copom cortará a taxa Selic em 0,75 p.p. em outubro.

  • Atividade econômica em recuperação  

    A atividade econômica segue retomando de forma gradual, com avanços na indústria, varejo e no mercado de trabalho.

  • Copom reduz taxa Selic em 1,0 p.p. para 8,25%  

    O comunicado indica redução moderada do ritmo de cortes à frente.

  • PIB cresce 0,2% no 2º trimestre  

    O resultado segue em linha com o cenário de recuperação gradual da atividade econômica.

  • Câmara aprova texto-base da TLP  

    A nova taxa deverá ser apurada mensalmente, e composta pela variação do IPCA e por uma taxa de juros prefixada.

  • Governo revisa metas fiscais para 2017 e 2018  

    O anúncio também veio acompanhado de medidas para cortes de gastos e elevação de receitas.

  • Desafios fiscais maiores  

    Aumento de impostos não é suficiente para cumprimento das metas de primário.

  • Ata do Copom: Velocidade de cruzeiro, por ora  

    Esperamos que o Copom repita a redução de 1,00 p.p. na reunião de Setembro.

  • Copom reduz taxa Selic em 1,0 p.p. para 9,25%  

    Por ora, projetamos que a taxa Selic alcance 7,5% ao final do ano.

  • Cenário desinflacionário prevalece  

    Os dados recentes mostram um ambiente de inflação baixa e expectativas ancoradas.

  • Reforma trabalhista é aprovada no Senado  

    A reforma altera a legislação trabalhista em mais de cem pontos, visando tornar o mercado de trabalho mais flexível.

  • Inflação em queda abre espaço para redução dos juros  

    A desaceleração da inflação segue disseminada entre seus componentes

  • Conselho Monetário reduz meta de inflação  

    A decisão é um passo importante para o início do processo de convergência da meta de inflação para padrões internacionais.

  • BC segue dependente dos dados  

    O tom do documento enfatiza a função de reação do BC e sua sensibilidade aos indicadores que serão divulgados

  • Reformas incertas, cenário mais desafiador  

    O cenário político mais conturbado deve postergar a tramitação das reformas.

  • Inflação de maio abaixo do esperado  

    A inflação do IPCA registrou variação de 0,31% em maio, bem abaixo das expectativas.

  • Copom: sem surpresas por ora, ritmo lento adiante  

    O comitê sinalizou que o próximo corte provavelmente será de 0,75 p.p., o que levaria a Selic para um dígito pela primeira vez desde 2013.

  • Copom: corte de 1 p.p. em meio a incertezas  

    A decisão do comitê está sujeita a novos acontecimentos no âmbito político.

  • Volatilidade nos mercados  

    Incertezas políticas e aversão ao risco pressionam mercados.

  • À espera da reforma da Previdência  

    Esperamos aprovação da reforma da Previdência no Congresso até o 3T17.

  • Reforma da Previdência avança na Câmara  

    O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado na Comissão Especial da Câmara do Deputados por 23 votos a favor e 14 contra.

  • Reforma trabalhista avança  

    A reforma altera a legislação trabalhista, visando tornar o mercado de trabalho mais flexível.


      < Voltar