Itaú BBA - Novo governo, mesmos desafios

Revisão de Cenário Brasil

< Voltar

Novo governo, mesmos desafios

Novembro 9, 2018

A sustentabilidade da dívida pública exige que a administração restrinja as despesas obrigatórias, o que não pode acontecer sem a reforma da previdência.


Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.
 

A projeção de crescimento do PIB em 2018 segue em 1,3%. Elevamos as projeções de crescimento do PIB para 2019 de 2,0% para 2,5%, incorporando condições financeiras (preços de ativos) mais expansionistas. A manutenção desse cenário mais favorável depende da aprovação das reformas.

Em 2018, esperamos déficit primário de 1,8% do PIB. Reduzimos nossa projeção de déficit primário para 2019 de 1,5% para 1,3% do PIB, mas esse resultado pode ser melhor em razão de possíveis receitas extraordinárias. No entanto, a sustentabilidade da dívida requer avanço de reformas que cortem gastos obrigatórios, como a da Previdência.

Revisamos a nossa projeção de taxa de câmbio para 3,75 reais por dólar no fim de 2018 (ante 3,90), refletindo a percepção de mercado de menor incerteza sobre a implementação de reformas. Para 2019, projetamos depreciação do real para 3,90 reais por dólar em virtude da redução do diferencial de juros (interno vs. externo).

Reduzimos as projeções de inflação para 4,2% para este ano e o próximo, refletindo os efeitos da queda recente no preço da gasolina e da menor inércia inflacionária para 2019.

Política monetária: o Comitê de Política Monetária (Copom) vê riscos menos assimétricos para a inflação e mantém projeções em torno da meta para os próximos anos, no cenário de referência. Assim sendo, revisamos nosso cenário para manutenção da taxa Selic em 6,5% ao longo do próximo ano.

 

Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.



< Voltar