Itaú BBA - Aprofundando o ajuste monetário

Revisão de Cenário Brasil

< Voltar

Aprofundando o ajuste monetário

Outubro 14, 2019

No Brasil, prevemos agora que a taxa Selic cairá para 4% em 2020

Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.

 

• A reforma da Previdência foi aprovada em primeiro turno no Senado e deve ter sua tramitação concluída até o final de outubro. A versão aprovada deve gerar uma economia de R$ 738 bilhões em dez anos. Mantivemos nossa expectativa de déficit primário de 1,1% em 2019 e melhoramos nossa estimativa de 1,0% para 0,9% do PIB em 2020.

• Revisamos a projeção de crescimento do PIB deste ano de 0,8% para 1,0%, em razão da melhora dos dados relativos ao 3T19. Para 2020, revisamos nossa projeção de 1,7% para 2,2%, devido à expectativa de estímulo monetário adicional.

• Revisamos as nossas projeções de taxa de câmbio para 3,90 reais por dólar em 2019 (ante 3,80) e para 4,25 reais por dólar em 2020 (ante 4,00) em virtude da redução do diferencial de juros.

• Esperamos a inflação em 3,3% neste ano (ante 3,4%). Para 2020, revisamos nossa projeção de IPCA de 3,5% para 3,7% tendo em vista o real mais depreciado.

• No curto prazo, a taxa de câmbio menos volátil, ainda que em patamar depreciado, o crescimento baixo e, em especial, a inflação ancorada abrem espaço para flexibilização monetária adicional. Passamos a esperar que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) estenda o ciclo de corte de juros, levando a taxa Selic para o nível de 4,5% ao final de 2019 e 4,0% em 2020.


 

Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.



< Voltar