Itaú BBA - À espera das reformas econômicas

Revisão de Cenário Brasil

< Voltar

À espera das reformas econômicas

Outubro 5, 2018

Sem reformas, os resultados fiscais voltarão a uma tendência de deterioração

Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.
 

Indicadores de atividade do 3T18 mostram crescimento subjacente fraco. Projetamos crescimento de 1,3% do PIB em 2018 e de 2,0% em 2019, mas a piora das condições financeiras – em boa parte pela incerteza quanto ao avanço das reformas – impõe um viés de baixa.

Resultados fiscais de curto prazo melhoram, mas a sustentabilidade depende de reformas. Reduzimos nossa projeção de déficit primário para 2018 de 2,1% para 1,8% do PIB e, para 2019, de 1,6% para 1,5% do PIB – o país precisa de um superávit de no mínimo 2.0% do PIB para estabilizar a dívida.

Mantivemos nossa projeção de taxa de câmbio em 3,90 reais por dólar no fim de 2018 e de 2019. Apesar da estabilização recente, a moeda brasileira segue suscetível à volatilidade doméstica e internacional.

Elevamos ligeiramente as projeções de inflação para 4,5% neste ano e para 4,3% em 2019, refletindo a revisão no preço do petróleo e o efeito da maior inércia inflacionária.

Política monetária: esperamos que o Copom deixe a taxa básica inalterada em 6,50% a.a. em outubro, mas acompanharemos de perto a evolução da taxa de câmbio e das expectativas de inflação. 

Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.



< Voltar