Itaú BBA - Macro Visão

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Surpresas balanceadas na América Latina  

    O índice de surpresa do Brasil recuou novamente em outubro, mas os dados mexicanos vieram mais fortes do que o esperado.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação chilena surpreende para baixo  

    O componente chileno ficou mais negativo, após a menor inflação mensal da série para o mês de setembro ser observada.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado recua em outubro  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco caiu de 0,54 para 0,36 em outubro.

  • Brasil Macro Visual  

    Apresentamos nosso novo Brasil Macro Visual, contendo uma série de gráficos e tabelas sobre as últimas tendências macroeconômicas

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Em queda, mas ainda positivo  

    O subíndice brasileiro recuou, uma vez que os dados do mercado de trabalho vieram em linha com as projeções do mercado.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Melhor dinâmica de preços no México, mais surpresas positiva  

    O destaque foi a moderação do índice do México, com os dados sugerindo um cenário de inflação mais benigno.

  • Como a criação da TLP impacta a condução da política monetária  

    A TLP deve aumentar substancialmente a eficácia da política monetária.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Variáveis financeiras seguem em patamares expansionistas  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco (IAM-IU) caiu de 0,86 para 0,72.

  • O que esperamos do Relatório de Inflação do 3T2017  

    Estimamos quedas na projeção para inflação em 2017 e 2018.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Surpresas positivas disseminadas no Brasil  

    O componente brasileiro foi o único a melhorar em agosto

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Surpresas para cima no México, números ambíguos no Brasil  

    Pós quatro meses consecutivos de queda, o índice surpresa do Brasil subiu em agosto.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Condições financeiras mais expansionistas  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco subiu de 0,81 para 0,83 em agosto.

  • Reformas podem levar PIB potencial do Brasil para 3,5%  

    Sem ajustes, o PIB potencial ficaria mais próximo de 1,5%.

  • Reforma política: perguntas e respostas  

    Propostas têm de ser sancionadas até 07 de outubro desse ano para valerem nas próximas eleições.

  • Elevamos a projeção do PIB no 2T17 de -0,2% para 0,0%  

    Revisão incorpora dados de atividade mais fortes em junho

  • Reforma Trabalhista: potenciais impactos  

    A recém-aprovada reforma trabalhista pode ajudar a aumentar a produtividade, a demanda e a oferta de trabalho.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Atividade mais firme no México, surpresas mistas nos demais p  

    Surpresas positivas no México, com a desaceleração se mostrando mais gradual do que o mercado havia antecipado.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Surpresas para baixo em toda a América Latina  

    O índice de surpresa do Brasil caiu de novo, em meio a uma nova leva de dados de inflação abaixo do esperado.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Mais expansionista diante de melhora nas commodities  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco (IAM-IU) subiu de -0,31 para 0,36.

  • Alta do desemprego perto do fim  

    Revisamos a trajetória da taxa de desemprego de nosso cenário.

  • Como o aumento da incerteza afetará os passos futuros da política monetária?  

    Acreditamos que o ambiente econômico seguirá desinflacionário e esperamos que o BC continue reduzindo a Selic

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação continua surpreendendo para baixo na América Latina  

    Dados de inflação vieram abaixo do esperado no Brasil e Peru; os índices mexicanos vieram novamente acima das expectativas.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Surpresas positivas no Brasil, dados decepcionantes nos demai  

    O Índice Itaú de Surpresa de Atividade recuou em junho, devido às surpresas negativas no México, Chile e Peru.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Variáveis financeiras no Brasil recuam em junho  

    O movimento foi explicado por uma piora tanto dos preços das commodities como das variáveis financeiras

  • Desaceleração na América Latina: o papel dos fatores externos  

    A maior parte da desaceleração observada na América Latina pode ser atribuída a um cenário externo mais adverso

  • O que esperamos do Relatório de Inflação do 2T2017  

    Esperamos que seja mantido o direcionamento para uma redução moderada do ritmo de flexibilização monetária.

  • Risco-país: até onde pode ir?  

    A manutenção do risco-Brasil em patamares baixos requer continuação das reformas e manutenção do cenário internacional benigno

  • BCE: A delicada estrada para normalização da política monetária  

    Saída simultânea é o caminho mais seguro para contemplar as diferenças idiossincráticas entre os países da Zona do Euro

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Desinflação ampla no Brasil, surpresas para cima no México  

    No Brasil, os índices gerais de preços (IGPs) registraram deflação mensal mais profunda do que esperado.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Variáveis financeiras no Brasil apresentam volatilidade em maio  

    O subcomponente de variáveis financeiras do Brasil piorou, apresentando volatilidade em meio a incertezas políticas.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Melhora generalizada das surpresas de atividade  

    O nosso Índice Itaú de Surpresa de Atividade subiu para 0,22 em maio (0,10 em abril) com melhoras em toda a América Latina.

  • Brasil: menos vulnerável a choques  

    O país conta com amortecedores robustos, e por isso, está menos vulnerável a choques, internos e externos.

  • Projetamos crescimento de 1,1% do PIB no 1T17  

    Forte contribuição da produção agropecuária e carrego favorável da produção industrial.

  • A economia brasileira pode crescer com desemprego elevado?  

    É possível que a economia cresça de forma expressiva sem que haja uma recuperação expressiva no nível do emprego.

  • A relação entre confiança e produção industrial continua válida?  

    Há modelos que explicam essa aparente contradição.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Surpresas inflacionárias menores  

    O Brasil sustenta o índice em terreno negativo, conforme a tendência de desinflação disseminada se estende.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Condições de mercado pioram em abril  

    O movimento foi explicado tanto pela queda dos preços das commodities quanto pela piora das variáveis financeiras.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Alteração metodológica de dados no Brasil distorce resultado  

    O Índice Itaú de Surpresa de Atividade subiu para 0,12 em abril, vindo de 0,11 em março

  • Elevamos de 0,5% para 1,4% a projeção do PIB no 1T17  

    O cenário é baseado em forte contribuição da produção agropecuária.

  • França deve permanecer na zona do euro, mesmo que Le Pen vença  

    Impasse politico impediria tentativas de realizer um referendo para saída da UE

  • Reforma da Previdência: regras de transição alternativas  

    Manter uma transição curta para a idade mínima de 65 anos é fundamental para as contas públicas

  • Índice de Ambiente de Mercado - Menos expansionista diante de queda de commodities  

    O ambiente de mercado para Brasil piorou em março, diante da queda dos preços da commodities.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação em grande parte abaixo das expectativas  

    Fora o México, os dados de inflação reforçaram o contexto desinflacionário em curso.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Sinais mistos em meio a uma recuperação lenta  

    Devido a mudança de metodologia nos dados de Brasil, o desempenho inferior deste mês deve ser interpretado com cautela.

  • O Europopulismo foi interrompido?  

    Europopulismo na Europa pode enfraquecer, mas a situação na Itália preocupa.

  • O que esperamos do Relatório de Inflação do 1T2017  

    O RI deve corroborar os sinais de intensificação do ritmo de relaxamento monetário apontado por documentos recentes do comitê.

  • Qual é o momento de reduzir a meta de inflação?  

    Em junho deste ano, pode estar aberta uma janela de oportunidade para reduzir a meta de inflação brasileira.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Surpresas estáveis e recuperação lenta  

    Nosso Índice Itaú de Surpresa de Atividade recuou de 0,14 em janeiro para 0,03 em fevereiro.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Surpresas para baixo mais modestas  

    Excluindo o Peru, os países latino-americanos estão apresentando surpresas para baixo mais modestas, ou mesmo positivas.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado expansionista em fevereiro  

    O IAM-IU ficou praticamente estável em fevereiro, continuando expansionista.

  • Projetamos contração de 0,6% para o PIB do Brasil no 4T16  

    Fundamentos seguem apontando para recuperação à frente

  • Como está a situação fiscal dos municípios?  

    A situação dos municípios é menos preocupante tanto em nível quanto em tendência, em relação ao governo central e aos estados.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Surpresas positivas, mas recuperação lenta  

    A realidade sugere que a atividade na região está aquecendo, mas que a recuperação será mais lenta do que o esperado.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação segue abaixo das expectativas  

    Seguindo a tendência recente, as pressões inflacionárias continuam recuando no Brasil, na Colômbia e no Chile.

  • E se a meta de inflação for reduzida?  

    Se a política monetária for perfeitamente crível, a redução da meta possibilita inflação e juros nominais mais baixos

  • Índice de Ambiente de Mercado - Forte melhora em janeiro  

    A melhora no mês foi impulsionada tanto pelas variáveis financeiras do Brasil quanto pelos preços das commodities.

  • Alteramos nossa projeção de PIB para 1,0% em 2017  

    PIB deve apresentar novo recuo no 4T16

  • 10 erros comuns sobre a Reforma da Previdência (PEC 287)  

    O problema da Previdência não é contábil, mas estrutural.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Melhora desigual  

    Os resultados foram desiguais entre os países, mas o efeito total foi positivo.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação continua surpreendendo para baixo  

    As surpresas inflacionárias para baixo têm sido comuns nos países onde a atividade também vem se mostrando mais fraca.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado volta a piorar em dezembro  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco(IAM-IU) passou de 0,44 em novembro para -0,03.

  • O que esperamos do Relatório de Inflação do 4T2016  

    O RI deve reforçar a comunicação recente da autoridade monetária, que no nosso entender sinaliza um corte de juros de 0,50 p.p. em sua reunião de janeiro.

  • Crise dos estados: diagnóstico e soluções  

    A saída da crise estrutural é o controle de gastos.

  • Perguntas mais frequentes: Reforma da Previdência (PEC 287)  

    A Reforma é necessária, dado o envelhecimento da população brasileira.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Incertezas externas levam à piora no ambiente de mercado em novembro  

    O Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco passou de 0,75 em outubro para 0,44. Essa piora está relacionada a incertezas externas.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - De volta a território negativo  

    O índice tem mostrado um comportamento volátil nos últimos meses.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Pressões inflacionárias seguem recuando  

    As pressões inflacionárias seguem recuando na maioria das economias da região.

  • Projetamos crescimento do PIB de 1,5% em 2017  

    Estoques devem contribuir positivamente.

  • Estimativas de taxas de câmbio sustentáveis na América Latina  

    Estimamos a taxa de câmbio consistente com déficits em conta corrente sustentáveis no longo prazo na América Latina

  • Projetamos contração de 1,1% para o PIB do Brasil no 3T16  

    Investimento deve voltar a contrair

  • Mapa de calor da produção industrial  

    A análise do mapa de calor reforça que a atividade parou de cair, mas ainda não há sinais claros de retomada.

  • Agenda econômica de Donald Trump  

    Expansão fiscal deve levar o Fed a apertar a política monetária

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação melhor do que o esperado, especialmente no Brasil  

    As pressões inflacionárias estão mais baixas na maioria dos países da região (especialmente no Brasil)

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Chile lidera o grupo  

    A recuperação do Chile foi o destaque do mês, enquanto a Colômbia continua ocupando a última posição do ranking.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado volta a melhorar  

    A melhora foi devido a fatores idiossincráticos ao Brasil que impulsionaram o componente de variáveis financeiras do país.

  • Argentina: Negociações salariais e suas implicações para a política monetária  

    O alcance da meta de inflação em 2017 dependerá fortemente das próximas rodadas de negociações salariais.

  • A desinflação de serviços está em linha com os fundamentos?  

    Avaliamos que a evolução recente da inflação de serviços está em linha com fundamentos econômicos.

  • Perguntas mais frequentes: teto de gastos (PEC 241)  

    O teto de gastos é fundamental para o reequilíbrio das contas públicas e o retorno ao crescimento econômico

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Menor pressão de preços de alimentos na América Latina  

    Choques temporários se dissipando e taxas de câmbio mias estáveis aliviam a inflação.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - Dados decepcionam, especialmente na Colômbia  

    As economias sul-americanas continuam apresentando desempenho fraco.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado mais equilibrado  

    Depois de uma importante valorização no primeiro semestre, os ativos financeiros que compõe o IAM-IU ficaram mais estáveis.

  • O que esperamos do Relatório de Inflação  

    O RI deve apresentar projeções abaixo da meta para 2018, consistente com nosso cenário de queda de juros em outubro

  • Por que o Brasil pode crescer 4% em 2018?  

    Projetamos que o PIB cresça 2,0% em 2017 e 4,0% em 2018. Esse cenário depende crucialmente da aprovação das reformas fiscais.

  • Índice Itaú de Surpresa de Atividade - México lidera o grupo  

    O México é o único país entregando resultados positivos consistentes, enquanto as economias da América do Sul têm decepcionado.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado continua expansionista em agosto  

    A forte melhora do ambiente de mercado desde abril deste ano sugere um viés para cima para o crescimento do PIB nesse ano.

  • Índice Itaú de Surpresa Inflacionária - Inflação alivia na América Latina  

    O processo de desinflação deve continuar na região devido a atividade econômica fraca e da evolução mais favorável do câmbio.

  • Projetamos contração de 0,6% para o PIB do Brasil no 2T16  

    Esperamos alta do investimento no 2T16

  • Qual é o peso dos fatores internacionais no movimento das moedas?  

    Movimento de apreciação das moedas em 2016 se deve à postura menos restritiva do FED e fatores idiossincráticos de cada país.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Julho decepciona após meses mais fortes  

    Os países decepcionaram de maneira geral, com a maioria apresentando deterioração substancial comparado ao mês de junho.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado menos expansionista, por commodities  

    O ambiente de mercado em patamar expansionista é compatível com o nosso cenário de estabilização do crescimento à frente.

  • Como é a retomada após uma recessão forte?  

    Encontramos que, após a recessão, países emergentes e da América Latina crescem mais rápido do que a média.

  • O Brasil está saindo da recessão?  

    Nossos resultados sugerem que, ainda que o país siga em recessão, há alguns sinais de melhora.

  • Quanto as expectativas de inflação de 2017 podem cair?  

    Acreditamos que, no prazo de 3 meses, os ganhos nas expectativas de 2017 podem ser de 40-50 pontos-base

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Impulso do México e Brasil  

    Enquanto o índice do México foi influenciado por efeitos de calendário, o Brasil melhorou consideravelmente.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado segue expansionista apesar de incertezas globais  

    Mesmo comas incertezas globais, o IAM-IU é compatível com a estabilização do crescimento da atividade no 2º semestre desse ano.

  • Teto de gastos pode estabilizar dívida abaixo de 80% do PIB  

    A reforma estrutural é capaz de reverter a deterioração das contas públicas

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - De volta ao neutro  

    México lidera o índice com dados de atividade favoráveis, enquanto o Brasil ocupa a última posição do mês.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado piora em maio  

    O IAM-IU é compatível com a estabilização do crescimento do PIB a partir do segundo semestre desse ano.

  • Projetamos retração de 0,8% para o PIB do Brasil no 1T16  

    Para a frente, os indicadores antecedentes sugerem uma relativa estabilização a partir do segundo semestre.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Performance positiva em abril  

    Exceto o Brasil, países LatAm tiveram desempenho positivo. O Índice tem ficado em grande parte acima de zero desde dez/15.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado continuou melhorando em abril  

    O ambiente de mercado no Brasil continuou melhorando em abril, impulsionado pelo subcomponente de commodities.

  • O Copometro e as próximas reuniões de política monetária  

    Mostramos que o Copometro é consistente com o nosso cenário de que o BC deve iniciar um ciclo de corte de juros em julho.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Próximo ao neutro  

    O índice se estabilizou em território positivo recentemente, após várias surpresas negativas nos últimos dois anos.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Melhora intensa do ambiente de mercado em março  

    O IAM-IU é compatível com o IAM-IU é compatível com o nosso cenário de queda de 4,0% do PIB em 2016.

  • Perguntas frequentes: Contas fiscais  

    O relatório sintetiza perguntas frequentes que temos recebido de clientes com relação às contas fiscais.

  • Quais as chances de sua seleção nas eliminatórias para a Copa 2018?  

    Brasil e Uruguai são os mais prováveis. Equador tem sido a surpresa positiva, até agora.

  • Petróleo: Ajuste no segundo semestre  

    Esperamos preços do petróleo em US$ 55 por barril no fim do ano, com fim do excesso de oferta global.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Ainda no positivo  

    O índice sustenta um resultado positivo, mas países LatAm continuam ajustando ao cenário de preços mais baixos das commodities.

  • Projetamos contração de 1,8% para o PIB do Brasil no 4T15 e de 3,9% em 2015  

    Para a frente, os dados já divulgados sugerem nova queda no primeiro trimestre deste ano.

  • Índice de Ambiente de Mercado - Ambiente de mercado melhora, mas segue contracionista  

    O IAM-IU é compatível com o nosso cenário de queda de 4,0% do PIB em 2016 e alguma estabilização em horizontes mais longos.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm - Um início positivo para 2016  

    Brasil e México apresentam dados melhores do que o esperado no começo do ano

  • Índice de Ambiente de Mercado - Incertezas externas levam à piora no ambiente de mercado em janeiro  

    Os resultados sugerem um viés de baixa para a nossa projeção de crescimento do PIB de -2,8% em 2016.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Terminando 2015 em um tom positivo  

    O Índice de surpresa LatAm finaliza o ano no positivo após um longo período de consecutivas surpresas negativas

  • Índice de Ambiente de Mercado: Ambiente de mercado no Brasil piorou em dezembro, por fatores domésti  

    O IAM-IU é compatível com nosso cenário de queda de 2,8% do PIB em 2016.

  • Bem-estar do brasileiro continuou a melhorar em 2014, porém deve recuar em 2015  

    O índice continuou a crescer em 2014, mas a prevista deterioração das Condições Econômicas vai causar queda do índice em 2015

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: México e Colômbia Lideram, Brasil Segue Decepcionando  

    Brasil, Chile e Peru registraram surpresas negativas, enquanto México e Colômbia continuam trazendo surpresas positivas.

  • Índice de Ambiente de Mercado: Queda dos preços das commodities leva à piora no ambiente de mercado  

    O IAM-IU continua em ambiente contracionista, não sugerindo recuperação da economia à frente.

  • Projetamos contração de 1,0% para o PIB do Brasil no 3T15  

    Para a frente, os indicadores coincidentes, antecedentes e os fundamentos não mostram retomada na atividade econômica.

  • Índice de Ambiente de Mercado: Melhora na margem, mas ambiente de mercado segue contracionista  

    Para que a melhora recente do ambiente de mercado de fato impulsione a economia, é preciso que ela se sustente por mais tempo.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: México, Colômbia e Peru para Cima, Brasil e Chile para Baixo  

    Brasil e Chile sofrem com dados fracos, enquanto Colombia, Peru e Mexico mostram melhor desempenho.

  • EUA: Receio de recessão não é justificado  

    O atual estágio do ciclo econômico não é típico de recessão.

  • Um pouco mais sobre a arte de cortar na carne  

    Uma simulação de um possível ajuste fiscal do lado da despesa via reformas é útil para mostrar o desafio da tarefa.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Brasil pesa sobre o índice  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm segue fraco, puxado pelo desempenho abaixo do esperado do Brasil.

  • Qual o impacto da depreciação cambial sobre a taxa Selic?  

    A reação da política monetária à depreciação do câmbio depende da sensibilidade das expectativas de inflação à taxa de câmbio.

  • Quando os países recuperam o grau de investimento?  

    A recuperação do grau de investimento demora 7,2 anos, em média. Alguns países, no entanto, recuperaram mais rapidamente.

  • O que aconteceu em países que perderam o grau de investimento?  

    Avaliamos o comportamento de ativos e variáveis macroeconômicas em países que perderam, no passado, o grau de investimento.

  • China: quais preocupações são relevantes?  

    Preocupações com crescimento menor e rebalanceamento desafiador são relevantes, mas riscos de crise financeira seguem contidos.

  • Índice de Ambiente de Mercado Itaú Unibanco  

    O IAM-IU mede o ambiente de mercado e também é um bom indicador antecedente do crescimento econômico do país.

  • Projetamos déficit primário de 1,0% do PIB em 2016  

    A redução no esforço fiscal torna o cenário ainda mais desafiador.

  • Projetamos retração de 1,8% para o PIB do Brasil no 2T15  

    Para a frente, os primeiros indicadores e os fundamentos sugerem continuidade da fraqueza na atividade econômica.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade decepciona mais  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm mostra que a atividade econômica na América Latina continua decepcionando as expectativas do mercado.

  • Quanto da melhora da balança comercial é consequência da depreciação do câmbio?  

    Quanto da melhora da balança comercial se deve ao câmbio mais depreciado e quanto se deve à atividade mais fraca?

  • Qual é o verdadeiro tamanho da dívida externa do Brasil?  

    O aumento de liquidez mundial depois da crise incentivou o aumento de emissões de títulos de dívida no exterior.

  • Dívida pública pode alcançar 70% ao final de 2017  

    As revisoes para baixo das metas fiscais implicam que a dívida pública bruta pode atingir 70% do PIB em 2017.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade segue decepcionando  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm caiu de -0,12 em maio para -0,21 em junho

  • A Índia será a nova China?  

    A Índia pode crescer entre 7% e 8% ao ano até 2025, mas a China continuará sendo mais importante para o crescimento global.

  • Ajuste fiscal: quanto falta?  

    Embora o ajuste fiscal já realizado seja historicamente relevante, ele representa um pouco menos da metade do ajuste fiscal necessário.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade abaixo do esperado  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm, subiu de -0,14 em abril para -0,13 em maio, mas permaneceu em território negativo.

  • O que explica o movimento conjunto das moedas?  

    Nos últimos dois anos, três fatores comuns explicaram metade da variação diária das moedas selecionadas

  • O impacto do custo unitário do trabalho no déficit externo  

    Estimamos que o ULC tenha contribuído com parte relevante da redução do superávit comercial nos anos recentes.

  • Projetamos retração de 0,4% para o PIB do Brasil no primeiro trimestre de 2015  

    Os fundamentos econômicos seguem indicando ajustes na produção e na demanda à frente

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade relativamente em linha com expectativas em abril  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm mostrou que a atividade foi relativamente em linha com expectativas em abril.

  • Declínio secular das commodities, de volta à tendência?  

    A queda dos últimos anos trouxe os preços reais das commodities de volta à tendência de declínio secular.

  • Recomposição de preços administrados em 2015: qual o impacto sobre a economia?  

    A recomposição de preços administrados deve gerar pressão sobre a inflação em 2015.

  • Projetamos estabilidade para o PIB do Brasil no quarto trimestre de 2014  

    Esperamos estagnação da atividade econômica no quarto trimestre de 2014 e também para o ano como um todo.

  • Até onde vai a cotação do real?  

    O real tem se depreciado consideravelmente nos últimos tempos. Qual seria o patamar consistente com a nova realidade da economia brasileira?

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade mais fraca que o esperado, exceto para Chile e Colômbia  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm recuou de -0,07 em novembro para -0,13 em dezembro.

  • Projetamos retração de 0,5% no PIB em 2015. Há riscos adicionais.  

    Observamos sinais de deterioração da atividade econômica em dezembro e no início deste ano.

  • O que vem pela frente para as economias da América Latina?  

    O investimento na região é parcialmente financiado pela poupança externa

  • Preços Administrados devem subir mais de 10% em 2015  

    Projetamos uma alta dos Preços Administrados de 10,4% neste ano

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Levemente negativo  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm recuou para -0,06 em novembro

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Voltando Para Território Neutro  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm subiu para -0,01 em setembro, de -0,13 em agosto.

  • A exposição da América Latina aos preços do petróleo  

    Os preços do petróleo vêm sofrendo queda acentuada nos últimos meses.

  • Projetamos aumento de 0,2% para o PIB do Brasil no terceiro trimestre de 2014  

    Projetamos crescimento moderado da atividade econômica no Brasil no terceiro trimestre.

  • Riscos de racionamento de energia em 2015 se chuva repetir padrão recente  

    Em 2014, os riscos se tornaram ainda maiores com o baixo volume de chuvas em janeiro e fevereiro.

  • Qual o impacto da desaceleração mundial sobre o crescimento nos EUA?  

    Há uma assimetria no mundo. Enquanto o crescimento na Europa, Japão e China permanece fraco

  • O ajuste fiscal possível  

    A economia precisa de ajustes macroeconômicos para retomar o crescimento sustentável.

  • China: os impactos no Brasil de um novo modelo de crescimento  

    Os mercados temem pela desaceleração global.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Ainda negativo  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm atingiu -0,11 em agosto

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Decepção generalizada  

    O Índice Itaú de Surpresa Latam alcançou -0,19 em julho, após -0,12 em junho.

  • Revisamos nossa projeção de crescimento do PIB em 2014 para 0,1%  

    Revisamos nossa projeção para o crescimento do PIB em 2014 para 0,1% (de 0,6%, anteriormente).

  • Projetamos recuo de 0,4% para o PIB do Brasil no segundo trimestre de 2014  

    Projetamos um recuo da atividade econômica no Brasil no segundo trimestre.

  • Qual foi o impacto do cenário externo sobre o crescimento do Brasil entre 2004 e 2008?  

    A economia brasileira cresceu 4,8% entre 2004 e 2008.

  • O que ocorreu com a distribuição de renda e a pobreza na América Latina?  

    Distribuição de renda é um tema caro para todos.

  • O déficit em conta corrente reage ao câmbio?  

    A partir de 2011, o real começou a depreciar, revertendo a tendência que vinha sendo observada desde 2003

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Impulsionado pela Colômbia  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm alcançou 0,15 em abril.

  • Copa do Mundo FIFA Brasil 2014: Perfil econômico dos Estados-sede  

    A Copa do Mundo FIFA Brasil 2014™ está chegando.

  • Projetamos crescimento de 0,3% para o PIB do Brasil no primeiro trimestre de 2014  

    Projetamos que a atividade econômica no Brasil teve crescimento moderado no primeiro trimestre.

  • Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014: quem tem mais chances?  

    elaboramos um modelo econométrico, temperado com uma boa dose de cultura futebolística dos economistas do Itaú.

  • BRASIL - Superávit Primário Estrutural (2013-2016): Impulso Fiscal Recente,Possível Contração Futura  

    Nossos cálculos apontam para um superávit primário estrutural do setor público de 0,5% do PIB em 2013

  • Desemprego, queda da taxa de participação e o FIES  

    A queda no crescimento econômico no Brasil causou uma desaceleração no mercado de trabalho.

  • Macro Day – Resumo e Apresentação  

    No cenário global, consideramos que a aceleração do crescimento, principalmente das economias desenvolvidas, deve continuar.

  • Projetamos crescimento de 0,3% para o PIB do Brasil no quarto trimestre de 2013  

    Projetamos que a atividade econômica no Brasil teve pequeno crescimento no quarto trimestre do ano passado.

  • Investimento estrangeiro direto no Brasil: perspectivas  

    O investimento estrangeiro direto (IED) somou US$ 64 bilhões em 2013, o equivalente a 2,9% do PIB.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Ainda Positivo  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm permaneceu em 0,04 em novembro, inalterado em relação a outubro.

  • Desvalorização do peso argentino: impactos na Argentina e no Brasil  

    A Argentina já vem enfrentando uma sobrevalorização cambial há alguns anos.

  • O heterogêneo ´recoupling` da América Latina  

    Entre 2010 e 2013 as economias emergentes se tornaram o principal motor da economia global, descolando-se das economias desenvolvidas.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Um pouco mais baixo  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm ficou em 0,05 em outubro, após 0,07 em setembro e 0,14 em agosto.

  • Menor, porém ainda positivo  

    O Índice Itaú de Surpresa LatAm ficou em 0,07 em setembro, abaixo da leitura de agosto (0,10).

  • Eliminatórias Sulamericanas: modelo previa maioria que vai à Copa, Equador foi a surpresa.  

    Nosso modelo, em meados do campeonato, já indicava as cinco primeiras colocações. Argentina, Colômbia, Chile e Equador garantiram suas vagas diretamente.

  • Projetamos recuo de 0,3% para o PIB do Brasil no terceiro trimestre de 2013  

    Do lado da demanda, esperamos contração da formação bruta de capital fixo, após três trimestres de crescimento elevado.

  • Brasil: os determinantes do investimento  

    Os investimentos tiveram um desempenho forte no primeiro semestre deste ano, mas é possível que isso não se repita adiante.

  • Crédito soberano: determinantes da classificação de risco brasileira  

    O que explica a classificação de risco de um país?

  • Takeaways from Our Trip to Paraguay  

    We met with political analysts during our visit to Paraguay last week.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Atividade melhorando  

    Na média, os dados de atividade econômica de agosto foram um pouco melhor que as expectativas do mercado.

  • Brasil: avaliando a postura fiscal recente  

    De acordo com nossos cálculos, o setor público registrou um superávit primário estrutural de 1,2% do PIB nos quatro trimestres acumulados até junho.

  • Fundamentos apontam para menor crescimento das vendas no varejo no médio prazo  

    As vendas no varejo têm crescido, em 2013, a um ritmo mais lento do que o observado nos últimos nove anos.

  • Brasil: intervenções e condições macroeconômicas em crises cambiais  

    A posição externa brasileira é bem mais confortável do que a de uma década atrás.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: De volta ao neutro  

    Os dados de atividade econômica ficaram, no agregado, muito próximos das expectativas do mercado em julho.

  • Bem-estar do brasileiro seguiu melhorando, ainda que a taxas menores  

    O Índice Itaú de Bem-Estar Social é composto por três subindicadores: condições econômicas, condições humanas e desigualdade social.

  • Os sinais de fraqueza do terceiro trimestre e as perspectivas para o crescimento do PIB  

    Revisamos nossa projeção para o PIB do terceiro trimestre de 0% para -0,5%.

  • Projetamos crescimento de 1,1% para o PIB do Brasil no segundo trimestre de 2013  

    Avaliamos que alguns fatores temporários contribuíram para a expansão do investimento no primeiro semestre.

  • Brasil: câmbio mais depreciado e mais inflação  

    A taxa de câmbio alcançou o patamar de 2,40 reais por dólar depois de oscilar por alguns dias em torno de 2,30.

  • Índice Itaú de Surpresa LatAm: Decepções persistem  

    O crescimento na América Latina continua decepcionando as expectativas, mas as surpresas negativas ficaram menos intensas.

  • As consequências dos protestos na economia  

    Resumidamente, pode-se dizer que as causas econômicas das manifestações de junho têm um componente conjuntural.

  • Brasil: O desafio de cumprir a meta fiscal de 2,3% do PIB em 2013  

    O provável anúncio de um novo contingenciamento de recursos orçamentários deste ano é um sinal construtivo do lado fiscal.

  • Brasil: Superávit fiscal estrutural diminui no primeiro trimestre  

    Nossas estimativas de resultado fiscal estrutural apontam para uma menor velocidade de suavização da postura fiscal no 1T13.

  • Uruguay: Coping with the Bonanza  

    We recently visited Uruguay to meet with private consultants and officials from the central bank. Below are the main takeaways from our trip.

  • Revisamos a projeção de crescimento do PIB do Brasil para 2,4% em 2013  

    Reduzimos de 2,8% para 2,4% a projeção de crescimento do PIB este ano, e de 3,3% para 2,8% a projeção para 2014.

  • Relações comerciais Brasil-Argentina: breve histórico e desenvolvimentos recentes  

    Em 2012, as exportações brasileiras para a Argentina caíram 21%, ou US$ 4,7 bilhões.


      < Voltar