Itaú BBA - Copom: corte ousado frente aos riscos

Macro Brasil

< Voltar

Copom: corte ousado frente aos riscos

Maio 6, 2020

O Copom reduziu a taxa Selic para 3,0% a.a. (esperávamos um movimento menos agressivo, para 3,25%) e sinalizou um corte final em junho.


Para o relatório completo com gráficos e tabelas, favor acessar o pdf em anexo.

 

• O Copom reduziu a taxa básica de juros para o mínimo histórico de 3,0% a.a. (esperávamos um movimento menos agressivo, para 3,25%). Isso aconteceu apesar da depreciação de mais de 20% do real desde a reunião anterior e após sinais de que a deterioração da política fiscal pode ser mais persistente que o esperado. Além disso, as autoridades indicaram que dois membros do comitê eram a favor de um corte ainda mais ousado e que a decisão de 0,75 p.p. foi um ajuste "moderado".

• Olhando à frente: o comunicado indica que o Copom realizará um corte final em sua próxima reunião, não maior que 0,75 p.p. Em nossa opinião, seria necessário um agravamento ainda mais intenso da situação fiscal e um nível ainda mais depreciado da taxa de câmbio para impedir que o Copom repita em junho a decisão de hoje. Assim, esperamos que o banco central leve a taxa Selic para 2,25% a.a. em sua próxima reunião, patamar que deve ser mantido até o fim do ano. 

• Note-se que, dadas as recentes mudanças legais, o banco central deverá em breve estar em posição de atuar no mercado de títulos públicos, de modo a impedir que a curva de juros fique muito mais inclinada. Isso pode deixar o comitê mais confortável para agir de forma mais rápida na parte curta da curva juros. Teremos mais informações sobre a visão do Copom com a divulgação da ata da reunião, na terça-feira, 12 de maio.


 



< Voltar