Itaú BBA - Macro Brasil

  • PIB mensal Itaú Unibanco avança em setembro  

    Alta dessazonalizada de 0,6% no terceiro trimestre.

  • Vendas do varejo voltam a subir em setembro  

    Resultado próximo das expectativas

  • IPCA sobe 0,42% em outubro, pressionado pela alta dos preços administrados  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de novembro aponta alta de 0,50%

  • Produção industrial sobe 0,2% em setembro e continua retomada gradual  

    Resultado abaixo do esperado devido à surpresa na produção farmacêutica.

  • Superávit comercial de US$ 5,2 bi em outubro  

    Os resultados mais recentes colocam viés de alta para a nossa projeção de superávit de US$ 62 bi em 2017.

  • Mercado de trabalho segue caracterizado pelo aumento do emprego informal no 3T17  

    A massa salarial real mostra alta de 3,9% na comparação anual e de 1,2% ante o trimestre concluído em junho.

  • Ata do Copom: o fim está próximo?  

    Mantemos, por ora, nossa visão de fim do ciclo em fevereiro, com um corte de 0,50 p.p., levando a Selic para 6,5% ao ano.

  • Déficit primário de R$ 21 bilhões em setembro  

    Sem reformas, desequilíbrio fiscal continuará acentuado

  • Concessões de crédito livre crescem e inadimplência recua em setembro  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Menores despesas com juros garantem superávit em conta corrente em setembro  

    Surpresa em despesa com juros trouxe superavit em conta corrente de US$ 400 milhões em Setembro.

  • Copom: em alto e bom tom, 7,0% a.a. no final do ano  

    O Copom fez o que era amplamente esperado: cortou a taxa Selic em 0,75 p.p., para 7,5% a.a., por unanimidade.

  • IPCA-15 subiu 0,34% em outubro, em linha com as expectativas  

    Nossa projeção preliminar para o IPCA do mês fechado aponta alta de 0,48%

  • Cockpit do Copom: desaceleração gradual  

    Mantemos nossa expectativa de corte de 0,75 p.p. na próxima semana

  • PIB mensal Itaú Unibanco fica estável em agosto  

    Dinâmica recente é consistente com a recuperação gradual da atividade econômica

  • Vendas do varejo: pausa (temporária) na retomada  

    Resultado abaixo das expectativas em agosto.

  • IPCA sobe 0,16% em setembro, acima das expectativas  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de outubro aponta alta de 0,40%

  • Produção industrial recua 0,8% em agosto; aberturas mostram quadro melhor  

    A projeção preliminar para setembro é de alta de 0,6%

  • Superávit comercial de US$ 5,2 bi em setembro  

    Os dados de setembro seguiram mostrando ligeira moderação do saldo comercial na margem.

  • Melhora do mercado de trabalho começa a se estender para o emprego formal  

    Usando nosso ajuste sazonal, o desemprego recuou pelo quinto mês consecutivo, de 12,7% para 12,6%.

  • Déficit primário menor que o esperado em agosto  

    Apesar da surpresa, reequilíbrio fiscal segue desafiador

  • Concessões de crédito recuam em agosto  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo

  • Pequeno déficit em conta corrente em Agosto  

    Dados recentes mostram moderação da conta corrente na margem, em linha com a visão de um aumento gradual do déficit adiante.

  • Relatório de Inflação: patamar baixo por um bom tempo  

    Dadas as projeções e a orientação do Copom, mantemos nossa visão de que o Copom cortará a taxa Selic em 0,75 p.p. em outubro.

  • IPCA-15 subiu 0,11% em setembro, com a taxa em 12 meses recuando para 2,56%  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA do mês fechado aponta alta de 0,10%

  • Ata do Copom: preparando o término  

    A ata descreve uma trajetória gradual para a taxa Selic, até o nível final de 7,0%.

  • Vendas do varejo estáveis, consolidando a retomada  

    Desempenho recente é reflexo da desinflação, da queda dos juros, da melhora do ritmo de contratações e dos saques do FGTS

  • PIB mensal Itaú Unibanco avança em julho  

    Melhora no mês reflete recuperação gradual da atividade econômica

  • Sem surpresas agora, desaceleração do ritmo depois  

    O Comitê de Politica Monetária (Copom) entregou o que se esperava: um corte de 1,00 p.p., levando a taxa Selic para 8,25% a.a.

  • IPCA sobe 0,19% em agosto, abaixo do piso das expectativas  

    Para setembro, a nossa projeção preliminar para o IPCA aponta variação de 0,25%

  • Produção industrial sobe 0,8% em julho, em alta disseminada  

    As últimas quatro divulgações trouxeram resultados acima das expectativas

  • Cockpit do Copom: Sinais de mudança  

    Esperamos que o Copom repita o ritmo de redução de 1,00 p.p. da taxa Selic na reunião da próxima semana.

  • PIB avança 0,2% no 2T17, crescimento subjacente melhor  

    Resultado influenciado pelo consumo doméstico

  • Exportações avançam no final do mês e superávit de agosto supreende positivamente  

    Apesar da surpresa positiva, os dados de agosto seguiram mostrando ligeira moderação do saldo comercial na margem.

  • Desemprego recua em julho, com aumento da população ocupada sem carteira assinada  

    Taxa de desemprego está em 12,8% (12,7% dessazonalizado, segundo nossas estimativas)

  • Déficit primário de R$ 16 bilhões em julho  

    Desafios fiscais continuam

  • Após forte alta de junho, concessões de crédito livre tem leve recuo  

    A taxa de inadimplência do sistema caiu 0,1 p.p. para 3,8%, com ajuste sazonal.

  • IPCA-15 subiu 0,35% em agosto, com pressão de combustíveis e energia elétrica  

    A nossa projeção para o IPCA do mês fechado foi revisada de 0,50% para 0,37%

  • Conta corrente: moderação na margem  

    O déficit em conta corrente deve permanecer em patamar baixo ao longo do ano, ajudado pelo bom desempenho da balança comercial

  • Vendas do varejo fortes em junho  

    Resultado influenciado por queda da inflação, saques do FTGS e melhora no ritmo de contratações

  • PIB mensal Itaú Unibanco sobe em junho  

    Projetamos nova alta do PIBIU para o mês seguinte.

  • IPCA sobe 0,24% em julho, pressionado pela energia elétrica  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de agosto aponta variação de 0,50%

  • Ata do Copom: Velocidade de cruzeiro, por ora  

    Esperamos que o Copom repita a redução de 1,00 p.p. na reunião de Setembro.

  • Balança comercial: moderação na margem, mas ainda em níveis altos  

    Os dados de julho mostraram novamente moderação do saldo comercial na margem.

  • Produção industrial estável em junho, acima das expectativas  

    Estabilidade após dois meses de alta, beneficiada pela indústria extrativa

  • Desemprego recua em junho, com aumento da população ocupada sem carteira assinada  

    População ocupada no setor privado com carteira assinada segue recuando.

  • Déficit primário de R$ 20 bilhões em junho  

    Cumprimento da meta de primário segue desafiador

  • Concessões de crédito crescem e inadimplência recua em junho  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Copom: Sem surpresas por ora, desaceleração do ritmo depois?  

    Por ora, projetamos que a taxa Selic alcance 7,5% ao final do ano, contra um consenso de 8%, e reconhecemos os riscos de baixa em torno desta projeção.

  • Superávit em conta corrente no primeiro semestre de 2017  

    No ano, foi registrado superávit em conta corrente de US$ 715 mi, o maior desde 2007.

  • Cockpit do Copom: cenário desinflacionário prevalece  

    Esperamos que o Copom realize uma redução de 1,00 p.p. na reunião da próxima semana.

  • IPCA-15 registrou variação de -0,18% em julho, no piso das expectativas  

    Nossa projeção preliminar para o IPCA do mês fechado aponta variação de 0,07%

  • PIB mensal Itaú Unibanco volta a retrair na comparação mensal  

    Queda influenciada pela agricultura, apesar de crescimento em outros indicadores.

  • Vendas do varejo com ligeiro recuo em maio  

    Segunda alta consecutiva na comparação anual após 24 meses no terreno negativo

  • IPCA registra deflação de 0,23% em junho  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de julho aponta variação de 0,18%

  • Produção industrial sobe 0,8% em maio  

    Alta pelo segundo mês consecutivo, influenciada por bens e capital e bens de consumo duráveis

  • Superávit comercial recorde no primeiro semestre  

    Mantemos a visão de saldo comercial elevado, com viés de alta, ratificado pelo forte resultado dos primeiro semestre do ano

  • Desemprego recua em maio  

    Recuo de 13,1% para 13,0% (nosso ajuste sazonal), ficando aproximadamente estável ao longo de 2017.

  • Déficit primário elevado em maio  

    Reformas são necessárias para reverter o desequilíbrio fiscal

  • Após dois meses de alta, concessões de crédito recuam em maio  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Terceiro superávit em conta corrente mensal consecutivo  

    O forte superávit comercial segue contribuindo para os resultados positivos na conta corrente.

  • IPCA-15 subiu 0,16% em junho, com taxa em 12 meses recuando para 3,5%  

    Projetamos variação de -0,15% para o IPCA do mês fechado

  • Relatório de Inflação: Oficialmente dependente dos dados  

    O tom do documento enfatiza a função de reação do BCB e a sensibilidade a indicadores que serão divulgados.

  • PIB mensal Itaú Unibanco fica praticamente estável em abril  

    Variação anual volta a ficar negativa.

  • Vendas do varejo avançam em abril  

    Alta em abril não foi disseminada entre os setores

  • IPCA de maio abaixo do esperado, com a taxa em 12 meses recuando para 3,6%  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de junho aponta variação levemente negativa.

  • Ata do Copom: Ciclo já passa da metade  

    Considerando a etapa do ciclo de flexibilização, uma antecipação de política monetária deixou de ser uma opção.

  • Produção industrial avança 0,6% em abril  

    Alta disseminada e auxiliada por recuperação de segmentos que recuaram muito em março

  • Queda dos preços de commodities atinge exportações em maio  

    Os dados de maio mostram alguma moderação do saldo comercial na margem com a queda das exportações de básicos

  • PIB avança 1,0% no 1T17  

    Alta influenciada por forte contribuição da produção agropecuária e carrego favorável da produção industrial

  • Desemprego atinge 13,6% em abril  

    Usando nosso ajuste sazonal, o desemprego ficou estável em 13,2%.

  • Copom: sem surpresas por ora, ritmo lento adiante  

    O comitê sinalizou que o próximo corte provavelmente será de 0,75 p.p., o que levaria a Selic para um dígito pela primeira vez desde 2013.

  • Cockpit do Copom: corte de 1 p.p. em meio a incertezas  

    Esperamos agora que o Copom realize um corte de 1,0 p.p., mantendo assim o ritmo da reunião anterior.

  • Superávit primário de R$ 13 bilhões em abril  

    Desafios fiscais continuam

  • Concessões de crédito crescem e inadimplência recua em abril  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Conta corrente segue em território positivo  

    O forte superávit comercial tem sido o principal responsável pelos resultados positivos na conta corrente.

  • IPCA-15 subiu 0,24% em maio, com taxa em 12 meses recuando para 3,8%  

    Projetamos alta de 0,50% para o IPCA de maio

  • Copom: Cortes maiores à frente  

    Esperamos um corte de 1,25 p.p. na taxa de juros, seguido por uma nova redução em julho.

  • Vendas do varejo recuam em março, influenciadas pelo setor de supermercados  

    Fraqueza em março, mas variação trimestral segue positiva para o 1T17.

  • PIB mensal Itaú Unibanco volta a contrair em março  

    PIB mensal retrai após quatro altas consecutivas.

  • IPCA subiu 0,14% em abril, com a taxa em 12 meses recuando para 4,1%  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de maio aponta variação de 0,50%.

  • Produção industrial recua 1,8% em março  

    Queda disseminada entre as quatro categorias econômicas

  • Mais um forte superávit comercial  

    O forte resultado dos primeiros meses do ano coloca um viés de alta na nossa projeção.

  • Déficit primário de R$ 11 bilhões em março  

    Desafios fiscais continuam

  • Desemprego atinge 13,7% no 1T17  

    Massa salarial em alta, apesar da queda da população ocupada

  • Concessões de crédito livre crescem 3,6% em março  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Déficit em conta corrente no primeiro trimestre é o menor desde 2007  

    Apesar do resultado positivo, projetamos déficits maiores ao longo de 2017.

  • IPCA-15 subiu 0,21% em abril, abaixo do esperado  

    Nossa projeção preliminar aponta alta de 0,15% para o IPCA de abril.

  • Ata do Copom: retorno da assimetria  

    O BC traz de volta a sinalização assimétrica (para maiores cortes de juros) sobre os futuros passos de política monetária.

  • PIB mensal Itaú Unibanco avança em fevereiro  

    Quarta alta consecutiva do indicador em fevereiro

  • Vendas do varejo mais fortes no começo de 2017  

    O IBGE fez novo ajuste na metodologia que elevou o resultado de janeiro e fevereiro

  • Copom: Sem surpresas por ora  

    O Copom tomou uma decisão amplamente esperada, um corte de 1,00 p.p., levando a taxa Selic para 11,25% a.a.

  • Cockpit do Copom: aceleração moderada para corte de 1 p.p.  

    A consolidação do cenário de desinflação abre espaço para uma intensificação do ritmo de flexibilização monetária.

  • IPCA subiu 0,25% em março, em linha com a mediana das expectativas  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de abril aponta variação de 0,13%

  • Produção industrial estável no primeiro bimestre de 2017  

    Aberturas mostram quadro melhor do que o índice agregado

  • Superávit comercial recorde no primeiro trimestre de 2017  

    As importações ainda fracas somadas aos preços mais altos de commodities garantiram superávits comerciais recordes.

  • Desemprego atinge 13,2% em fevereiro  

    Desemprego registra nova alta em fevereiro e tendência de alta permanece

  • Déficit primário acima do esperado em fevereiro  

    Desafios fiscais continuam

  • PIB mensal Itaú Unibanco sobe 0,3% em janeiro  

    Indicador subiu pelo 3º mês consecutivo

  • Varejo ampliado segue estável  

    Varejo ampliado segue estável, em divulgação afetada por mudança metodológica

  • Relatório de Inflação: Cortes de juros maiores à frente  

    O BC sinalizou aumento "moderado" no ritmo de flexibilização, que consideramos como um aumento de 0,75 p.p. para 1 p.p.

  • Inadimplência do sistema fica estável em fevereiro  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema recuaram, com ajuste sazonal.

  • Remessas de lucros e dividendos avançam e déficit em conta corrente surpreende  

    A maior surpresa do balanço de pagamento de fevereiro veio na conta de rendas, com remessa de lucros e dividendos mais altas.

  • IPCA-15 subiu 0,15% em março, dentro do esperado  

    Prevemos alta de 0,27% para o IPCA no fechamento do mês

  • Expectativas mais baixas, ritmo mais acelerado de corte de juros  

    Projetamos agora dois cortes de 1,00 p.p., dois de 0,75 p.p. e um de 0,50 p.p.. A Selic deve terminar 2017 e 2018 em 8,25%.

  • IPCA subiu 0,33% em fevereiro, abaixo do piso das expectativas  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de março aponta variação de 0,27%

  • Leve queda na produção industrial em janeiro  

    Para os próximos meses, esperamos que o ajuste cíclico nos estoques continue, uma vez que a demanda segue acima da produção.

  • PIB contraiu 3,6% em 2016  

    Oitava queda consecutiva da atividade econômica

  • Ata do Copom: maior grau de liberdade  

    Mantemos nosso cenário, mas o risco está inclinado para uma aceleração no ritmo de corte e para uma taxa menor este ano.

  • Surpresa nas importações garante superávit maior em fevereiro  

    As importações foram a principal surpresa em relação à nossa projeção, tendo desacelerado na última semana do mês.

  • Nova alta do desemprego em janeiro  

    Resultado foi puxado por uma maior procura por trabalho

  • Superávit primário acima do estimado em janeiro  

    No governo central, o principal destaque foi o reduzido gasto com despesas discricionárias.

  • Copom: Avaliando os dados e o estrutural  

    Além dos dados, o BC também sugere que seus próximos movimentos dependerão de estimativas da "taxa de juros estrutural".

  • Concessões de crédito livre têm leve crescimento em janeiro  

    A taxa de inadimplência do sistema com ajuste sazonal caiu 0,1 p.p. para 3,7%.

  • IPCA-15 subiu 0,54% em fevereiro, diante da pressão sazonal do grupo educação  

    IPCA deve fechar o mês com alta de 0,45%.

  • Déficit em conta corrente de US$ 5,1 bilhões em janeiro  

    Déficit em conta corrente acumulado em 12m segue estável em US$23,8 bi ou 1,3% do PIB

  • Cockpit do Copom: Mais um corte de 0,75 p.p.  

    Avaliamos que o Copom irá realizar mais um corte de 0,75 ponto percentual na próxima semana, levando a taxa Selic para 12,25%.

  • Vendas no varejo declinaram em linha com o esperado em dezembro  

    Varejo ampliado contraiu 8,7% em 2016

  • Alta do PIB mensal Itaú Unibanco em dezembro  

    PIB mensal recuou 0,8% no 4T16

  • IPCA subiu 0,38% em janeiro, abaixo do esperado  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de fevereiro aponta variação de 0,47%

  • Alta da produção industrial em dezembro  

    Resultado agregado acima do sugerido pela difusão

  • Exportações garantem forte superávit em janeiro  

    As exportações avançaram em janeiro com alta forte nas vendas de itens básicos

  • Déficit Primário de 2,5% do PIB em 2016  

    Resultado foi marginalmente melhor do que a meta de -2.6% do PIB

  • Desemprego atinge 12% em dezembro  

    Taxa de desemprego aumentou 3 p.p. ante dezembro de 2015

  • Inadimplência fica estável em dezembro  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Déficit em conta corrente termina o ano no menor nível desde 2007  

    O déficit em conta corrente fechou 2016 em US$ 23,5 bilhões ou 1,3% do PIB

  • IPCA-15 subiu 0,31% em janeiro, no piso das expectativas  

    Reduzimos a projeção para o IPCA do mês fechado de 0,53% para 0,47%.

  • Ata do Copom: Antecipação reforçada  

    A ata não traz nenhuma informação nova significativa, mas continua associando o corte 0,75 p.p. com uma antecipação do ciclo.

  • IPCA fecha o ano de 2016 com alta de 6,29%  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de janeiro aponta variação de 0,53%

  • Copom: antecipando o ciclo  

    O Banco Central reduziu os juros em 0,75 p.p., avaliando que a atividade doméstica tem sido mais fraca do que o esperado.

  • PIB mensal Itaú Unibanco permaneceu estável em novembro  

    Esperamos alta do PIB mensal em dezembro

  • Vendas no varejo cresceram acima do esperado em novembro  

    Resultado foi influenciado por uma antecipação das compras de final de ano.

  • Cockpit do Copom: Aceleração para corte de 0,75 p.p.  

    Acreditamos que o Copom irá reduzir a Selic em 0,75 p.p., consistente com os desenvolvimentos recentes sobre inflação e atividade.

  • Produção industrial decepciona em novembro  

    Dados de curto prazo colocam riscos adicionais às nossas projeções de atividade econômica.

  • Superávit comercial de US$ 47,7 bi em 2016  

    A balança commercial apresentou superávit pelo segundo ano consecutivo, com saldo de US$ 47,7 bi.

  • Desemprego segue em alta em novembro  

    Desemprego mantém tendência de alta e atinge 11,9% em novembro.

  • Déficit de R$ 39 bilhões em novembro  

    Déficit primário voltou a patamares elevados

  • Inadimplência fica praticamente estável em novembro  

    A taxa de juros e o spread médio do sistema apresentaram recuo.

  • Relatório de Inflação: BCB prepara o terreno para um longo ciclo de corte de juros  

    Continuamos esperando que o Copom reduzirá a taxa básica de juros em 3,75 p.p. no próximo ano, começando com um corte de 0,50 p.p. em janeiro.

  • IPCA-15 veio abaixo do piso das expectativas, fechando o ano com alta de 6,58%  

    Reduzimos a projeção para o IPCA do mês fechado de 0,50% para 0,30%.

  • Déficit em conta corrente segue estável  

    O déficit em conta corrente veio acima do projetado em novembro mas não muda o quadro de estabilidade.

  • Vendas no varejo declinaram em outubro  

    Quarta queda consecutiva no varejo restrito.

  • Novo recuo do PIB mensal Itaú Unibanco em outubro  

    Quarta queda consecutiva do PIB mensal.

  • IPCA subiu 0,18% em novembro, abaixo do piso das expectativas  

    A nossa projeção preliminar para dezembro aponta variação de 0,50% para o IPCA

  • Ata do Copom: não tão moderado e gradual  

    O comunicado sugere fortemente um corte de 0,50 p.p. da taxa de juros em janeiro.

  • Produção industrial voltou a recuar em outubro  

    Contração disseminada entre categorias econômicas.

  • Balança comercial: Plataforma de petróleo traz surpresa positiva ao saldo comercial em novembro  

    O superávit de novembro foi melhor que o esperado em função da exportação de uma plataforma na penúltima semana do mês.

  • Copom: preparando o terreno para corte de juros maiores  

    O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, por unanimidade, realizar outro corte de juros de 0,25 p.p., levando a taxa Selic para 13,75%.

  • PIB contraiu 0,8% no terceiro trimestre  

    Contrações no consumo se atenuam

  • Desemprego permanece em ascensão em outubro  

    Atenuação nas contrações da massa real

  • Superávit em outubro, com receitas da repatriação  

    O superávit no mês não altera a tendência desfavorável dos resultados fiscais

  • Cockpit do Copom: incerteza aponta para mais um corte de 0,25 p.p.  

    Diante do aumento da incerteza sobre o cenário externo, esperamos mais um corte de 0,25 p.p. levando a taxa Selic para 13,75%.

  • Concessões de crédito livre crescem em outubro  

    A taxa de inadimplência do sistema subiu 0,1 p.p. para 3,8%, com ajuste sazonal.

  • IPCA-15 subiu 0,26% em novembro, ligeiramente abaixo da mediana das expectativas  

    Reduzimos a projeção para o IPCA do mês fechado de 0,35% para 0,28%

  • Contas externas: estabilidade na margem  

    O déficit em conta corrente estabilizou em nível mais elevado do que no início do ano.

  • Copom: reagindo a um novo ambiente externo  

    Diante do novo cenário externo, esperamos agora um outro corte de juros de 0,25 p.p. na reunião de novembro.

  • Vendas no varejo continuam a declinar em setembro  

    No terceiro trimestre, as vendas no conceito ampliado declinaram 2,7%.

  • PIB mensal Itaú Unibanco recuou 1,2% no 3T16  

    Esperamos uma nova queda do PIBIU em outubro

  • IPCA subiu 0,26% em outubro, um pouco abaixo do esperado  

    A nossa projeção preliminar para o IPCA de novembro é de alta de 0,35%

  • Leve alta da produção industrial em setembro  

    Produção industrial recuou 1,1% no 3T16

  • Balança comercial: estabilidade na margem  

    Depois dos fortes resultados observados na primeira metade deste ano, o superávit comercial se acomodou em níveis mais baixos.

  • Mais um déficit primário: R$ -26,6 bi em setembro  

    Tendência das contas públicas reforça necessidade de reformas estruturais

  • Nova alta do desemprego em setembro  

    Massa real segue em contração

  • Inadimplência PJ sobe em setembro  

    A média diária das concessões de crédito livre cresceu em setembro.

  • Ata do Copom: moderado e gradual  

    Consideramos que os dados e as notícias devem evoluir de forma a respaldar um corte de 0,50 p.p em novembro.

  • Déficit em conta corrente abaixo do esperado em setembro  

    O resultado positivo devolve parte do desempenho recente mais fraco e não muda a visão de um pequeno déficit no ano.

  • IPCA-15 subiu 0,19% em outubro, um pouco abaixo do esperado  

    Reduzimos a projeção para o IPCA do mês fechado de 0,35% para 0,30%, com a taxa em 12 meses recuando para 7,9%

  • Copom: Começando o ciclo  

    Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) realizou o primeiro corte de juros desde 2012.

  • Queda do PIB mensal Itaú Unibanco em agosto reforça expectativa de contração do PIB no 3T16  

    Indústria de transformação puxou o resultado do mês

  • Vendas no varejo seguem contraindo em agosto  

    As vendas de veículos surpreenderam negativamente no mês.

  • Cockpit do Copom: Início do ciclo  

    Acreditamos que o Banco Central irá cortar a taxa Selic em 0,25 ponto percentual na próxima semana.

  • IPCA subiu 0,08% em setembro, abaixo do piso das expectativas  

    Nossa projeção preliminar para o IPCA de outubro aponta alta de 0,37%

  • Produção industrial contrai em agosto, mas fundamentos permanecem favoráveis  

    A difusão veio em linha com o resultado agregado.

  • Mais um superávit mensal  

    Apesar de mais um superávit mensal temos observado moderação na balança que não comprometerá a sustentabilidade externa.

  • Déficit primário de R$ 22,3 bilhões em agosto  

    Tendência das contas públicas reforça necessidade de reformas estruturais

  • Desemprego atinge 11,8% em agosto  

    População ocupada contraiu 2,2% ante o ano anterior

  • Concessões de crédito recuam em agosto  

    A taxa de inadimplência do sistema ficou estável em 3,6%.

  • Relatório de Inflação prepara o terreno para ciclo de cortes  

    RI apresenta projeções de inflação abaixo da meta para 2018, consistente com cortes de juros a partir de outubro

  • Déficit em conta corrente menor em agosto  

    O déficit em conta corrente veio abaixo do projetado em agosto. Ainda assim, o ajuste externo segue perdendo fôlego.

  • IPCA-15 subiu 0,23% em setembro, abaixo do piso das expectativas  

    Reduzimos a projeção para o IPCA do mês fechado de alta de 0,30% para 0,20%

  • Novo declínio das vendas no varejo em julho  

    Quinta queda consecutiva no varejo ampliado

  • Leve queda no PIB mensal Itaú Unibanco em julho  

    Os indicadores já divulgados apontam para queda do PIB mensal em agosto.

  • IPCA subiu 0,44% em agosto, em linha com a mediana das expectativas  

    Para setembro, a nossa projeção preliminar para o IPCA aponta alta de 0,30%

  • Ata do Copom: corte de juros condicionado ao cenário  

    Acreditamos que os dados e o fluxo de notícias deverão permitir que o comitê inicie um processo de flexibilização em outubro.

  • Indústria volta a crescer em julho  

    Quinta alta consecutiva na produção

  • Balança comercial: moderação adiante  

    Os resultados da balança serão mais modestos adiante, mas não acreditamos que comprometam a sustentabilidade externa.

  • Déficit primário de R$ 12,8 bilhões em julho  

    Tendência das contas públicas reforça necessidade de reformas estruturais

  • Copom: próximos passos dependem dos dados  

    Esperamos que o Copom inicie cortes de juros na reunião de outubro, com uma redução de 0,25 p.p.

  • PIB contraiu 0,6% no segundo trimestre  

    O investimento interrompeu uma série de dez declínios consecutivos.

  • Trajetória de alta no desemprego continua  

    População ocupada contraiu 1,8% ante o ano anterior

  • Inadimplência fica estável em julho  

    A taxa de inadimplência do sistema ficou estável em 3,6%, com ajuste sazonal.

  • Cockpit do Copom: sem espaço para cortes, por agora  

    Esperamos manutenção da taxa Selic em 14,25% na reunião da semana que vem.

  • IPCA-15 subiu 0,45% em agosto, em linha com o esperado  

    IPCA deve subir 0,40% este mês.

  • Ajuste externo perdendo força  

    Ajuste externo perdeu força com estabilização da atividade e real mais apreciado, mas déficit em 2016 será menor que em 2015

  • IPCA subiu 0,52% em julho, acima do esperado  

    Diante da pressão de alimentos, elevamos a projeção para o IPCA de agosto de alta de 0,32% para 0,40%.

  • Fraqueza nas vendas no varejo permanece em junho  

    Vendas no varejo ampliado recuaram 2,2% no segundo trimestre

  • PIB mensal Itaú Unibanco aumentou 0,5% em junho  

    Indústria de transformação puxou resultado do mês

  • Quarta alta consecutiva na produção industrial  

    Sexta alta seguida em bens de capital

  • Superávits comerciais menores adiante  

    Mantemos a projeção de superávit recorde em 2016, ainda que os resultados da balança adiante sejam mais modestos.

  • Desemprego segue em alta em junho  

    Taxa de desemprego nacional atinge 11,3% e segue tendência de alta

  • Déficit primário de R$ 10 bilhões em junho  

    Tendência de deterioração enquanto reformas estruturais não são aprovadas.


      < Voltar