Ir para menu Ir para conteúdo principal Ir para rodapé

Academia da Governança Agro

O que é Governança

1ª estação – Organização, ferramentas e controles básicos para a empresa agrícola



O que é Governança?



    O primeiro passo fundamental para nos prepararmos é que você entenda o que significa governança. Essa palavrinha vai ser o nosso guia ao longo da nossa trilha, e tudo o que for descrito aqui será útil para que você entenda o conceito e como implementar em seu negócio rural.



    Governança nada mais é que um conjunto de práticas, ferramentas, processos e controles que as empresas adotam a fim de alinhar as ações dos donos, sócios, funcionários, atendendo aos requisitos legais, socioambientais, fiscais e tributários a fim de atingir os objetivos do negócio. Quando pensamos no agronegócio, a maior parte dos empreendimentos rurais começou com apenas um dono, que tinha um pedaço de terra e que foi crescendo a partir da expansão da atividade.



    Com o passar dos anos, passou a se tornar complexo para que apenas uma pessoa cuidasse de tudo sozinha, desde as decisões do dia a dia, quanto de investimentos com retorno no longo prazo. É justamente neste momento que reforçamos a necessidade de que haja esta governança, com a adoção de práticas que auxiliam no controle e crescimento saudável do negócio, estabelecendo metas, papéis e responsabilidades.

Vídeo Explicativo 1

Diferença entre gestão da fazenda e gestão de empresa agrícola

    Então, prepare-se! Na nossa primeira estação vamos descrever a construção da base de gestão de um negócio agrícola. qualquer que seja o seu tamanho. Se é um negócio, precisa ser gerido como tal!



    Mesmo um negócio pequeno, pelo capital envolvido, pela movimentação financeira e o risco que isso traz, vale a pena construir um mínimo de organização, ferramentas e controles.



    Este mínimo, que é o nosso ponto de partida na primeira estação, pode ser agrupado em 3 frentes:









    A separação financeira entre família e negócio é decididamente um primeiro passo, pois ela facilita o controle das contas, e ajuda a disciplinar a influência familiar na vida financeira do negócio. Negócios e família têm lógicas distintas: quanto menos misturado, melhor!



    A organização e o controle físico da operação agropecuária geram a base para o planejamento e a gestão financeira. O detalhamento do que queremos fazer a cada safra, seja em relação ao plantio, aos tratos, seja o quanto queremos fazer de melhorias e investimentos, vão ter reflexo nas receitas, nas despesas, na demanda de caixa.



    Então, o segundo passo é termos uma boa definição do que, do quanto pretendemos fazer na nossa operação agrícola, e quando as coisas devem acontecer. Esse é o planejamento físico da safra e dos investimentos. Trata se da utilização de tabelas simples que resumam a distribuição da área por atividade e as diferentes necessidades de insumos, materiais e equipamentos.



    Conforme a safra vai andando, vamos acompanhando a evolução física, de campo, do que tínhamos planejado comparado com o que foi realizado.



    O planejamento e o controle financeiro de uma operação agrícola são espelhos em dinheiro do seu planejamento e controle físico. Lista de necessidade de insumos, materiais e equipamentos são traduzidas em orçamentos de despesas e de investimentos. Expectativa de produção é traduzida em receita esperada. Tudo isso pode ser distribuído no tempo num fluxo de entradas e saídas para acompanhamento do saldo de caixa, e dos resultados.



    Vamos ver na sequência como cada um desses componentes pode ser posto em prática.



Clique aqui para continuar



Introdução Trilha da Governança Agro