Imprensa



30/09/2013

Itaú Viver Mais debate envelhecimento ativo

Fonte: Relações com Imprensa

Debate ressalta aspectos econômicos e culturais positivos do envelhecimento, como a experiência e qualificação

Envelhecer é um processo pelo qual todos os seres vivos passam, sendo composto por perdas e ganhos. Entre os ganhos estão a experiência e o conhecimento, que podem contribuir para o aumento de produtividade de que o Brasil precisa para incrementar seu desenvolvimento econômico, como também proporcionar trocas intergeracionais e promover bem-estar entre idosos.
Essas foram algumas das mensagens passadas por especialistas que participaram do “Diálogo Itaú Viver Mais”, promovido hoje (30) como parte das comemorações pelos dez anos do Estatuto do Idoso, que contou com exposições da professora Andrea Lopes, da USP, e do economista Caio Megale, do Itaú Unibanco, além de debate com a plateia coordenado por Carlos Ximenes, do Itaú Viver Mais.
Em sua fala, a professora trouxe falsos mitos sobre a velhice, como o de que pessoas idosas são todas iguais – que desconsidera a heterogeneidade daqueles que estão nessa fase da vida – e de que os idosos não têm nenhuma contribuição a dar. Andrea ressaltou que o conceito de “Terceira Idade” revigorou o senso comum sobre velhice, muito ancorado em aspectos negativos, resgatando a perspectiva também de ganhos nessa parte da vida. Ela terminou sua exposição com uma mensagem à plateia, que lotou o auditório do Itaú Cultural: “Nós seremos os velhos que construirmos durante nossas vidas, com as relações que estabelecermos. E quem já chegou a essa fase pode nos ajudar a construirmos uma velhice melhor para todos, com sua experiência”.
Megale, por sua vez, expos que o país precisa buscar ganho de produtividade para elevar seu crescimento e afirmou que a experiência e as lições de vida que as pessoas com mais de 60 anos têm a passar podem trazer novas ideias para contribuir com esse processo. “Boa parte da engrenagem de nossa economia pode ser preenchida com esses profissionais, que têm maior qualificação e experiência”, disse. Em sua apresentação, o economista trouxe a evolução da pirâmide etária do Brasil, mostrando que, em 2032, se as perspectivas estatísticas se confirmarem, a porcentagem de trabalhadores que contribuem com a Previdência oficial será igual à de beneficiários do INSS.
No debate que se seguiu e incluiu Thaís Bento Lima da Silva, da Associação Brasileira de Gerontologia, foi ressaltada a importância da educação financeira também como ferramenta de preparação para a aposentadoria. E de o idoso ser mais protagonista com a família e com a sociedade, ampliando sua participação cívica.
Com esse evento, a intenção do Itaú Viver é amplificar as discussões sobre o envelhecimento ativo, trazendo novos olhares sobre o tema.


Sobre o Itaú Viver Mais
O Itaú Viver Mais é um projeto mantido pelo Itaú Unibanco que oferece gratuitamente atividades físicas e socioculturais para pessoas com mais de 55 anos de idade. As atividades são realizadas por meio de parcerias com shoppings e supermercados nas cidades de São Paulo, Taboão da Serra, Rio de Janeiro, São Gonçalo, Niterói e Porto Alegre.

Veja Também

Não existem elementos anteriores que mostrar

Veja mais