Imprensa



18/04/2013

Itaú Microcrédito tem 38% de clientes não-bancarizados

Fonte: Relações com Imprensa

Modalidade concede empréstimos para empreendedores formais e informais contribuindo para a inclusão bancária e crescimento sustentável dos negócios

38% dos empreendedores da base atual de clientes do Itaú Microcrédito não possuem conta corrente em nenhuma instituição financeira. Em dois anos, o número de contratantes do Itaú Microcrédito que abriram conta corrente em bancos aumentou 10%.  É uma mostra de que, concebido com o objetivo de ser instrumento de redução da desigualdade e proporcionar acesso ao crédito para empreendedores de baixa renda, o microcrédito tem evoluído neste propósito no Brasil. O Itaú Unibanco mantém desde 2003 operações de Microcrédito Produtivo Orientado.

“Os empreendedores das classes C, D e E muitas vezes não possuem a estrutura necessária para usufruir do sistema financeiro formal e isso acaba impedido o crescimento do negócio. O microcrédito surge como alternativa para proporcionar a inclusão bancária dessas pessoas e possibilitar que essas microempresas tenham crescimento sustentável”, explica Eduardo Ferreira, superintendente do Itaú Microcrédito.

O Itaú Microcrédito já concedeu crédito para mais de 42 mil clientes e atende a donos de pequenos negócios formais e informais geralmente localizados em comunidades de baixa renda nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro. O banco disponibiliza aproximadamente R$ 330 milhões mensais para as operações de microcrédito, seja em créditos a serem liberados diretamente aos empreendedores ou em recursos repassados via OSCIPs.

Os créditos concedidos por meio da modalidade também contribuem para a queda da informalidade dos empreendimentos. O nível de informalidade dos clientes do Itaú Microcrédito caiu 23 pontos percentuais em dois anos. Em 2010, 83% dos estabelecimentos atendidos estavam informais; em dezembro de 2012, esse índice baixou para 60%. “Os empreendedores não são informais porque querem, mas porque não têm condições de buscar a formalidade. Quando têm educação financeira e acesso ao crédito, também têm condições de crescer e buscar a formalização”, diz Ferreira.

Um dos diferenciais da operação do Itaú está nos agentes de microcrédito, que percorrem as comunidades e mantêm relacionamento mais próximo com os clientes. “Operamos com o Itaú Microcrédito sem agências bancárias. Com os agentes, nós é que vamos até o cliente, que muitas vezes não pode deixar o seu negócio para se deslocar até uma agência por não ter ninguém para substituí-lo na ausência”, diz o executivo.

Os agentes geralmente são pessoas da própria comunidade onde atuam e recebem capacitação para trabalhar como consultores financeiros dos clientes, orientando sobre as melhores formas de gestão, fluxo de caixa e também dando dicas de educação financeira. Os agentes vão até o empreendimento do cliente para entender com maior profundidade a história, as aspirações e os gastos familiares dele a fim de identificar suas necessidades e sua capacidade de pagamento.

PERFIL

Na base de clientes do Itaú Microcrédito, 50% contratam crédito entre R$ 400 e R$ 3.000. Em 58% dos casos o valor é contratado para capital de giro e para 22% o valor é destinado tanto para capital de giro quanto para compra de máquinas e equipamentos para o negócio e mesmo para reforma do imóvel onde funciona o estabelecimento.

Entre os empreendedores que contratam o microcrédito produtivo orientado do Itaú Unibanco, 50% mantêm seus negócios no mesmo local onde residem e 88% dos empreendimentos existem há mais de três anos.

O setor de Comércio é o que mais demanda o Itaú Microcrédito, representando 60% dos contratos.

Veja Também

Não existem elementos anteriores que mostrar

Veja mais