Imprensa



23/05/2013

Bike Sampa completa um ano em São Paulo

Fonte: Relações com Imprensa

Projeto terá mais 100 estações na cidade a partir de junho, todas com leitor do Bilhete Único.

As “magrelas” caíram de vez no gosto do paulistano. Completando um ano de atividade nesta sexta-feira (24), o Bike Sampa – projeto de compartilhamento de bicicletas realizado pela Prefeitura de São Paulo através da Secretaria Municipal de Transportes, em parceria com o Itaú Unibanco e com a Samba/Serttel – já contabilizou mais de 250 mil viagens e cerca de 155 mil usuários cadastrados.

A estação mais procurada para a retirada das laranjinhas do Itaú Unibanco é a do Portão 6 do Parque do Ibirapuera, seguida pelas do Parque do Povo e da Rua João Cachoeira. A partir de junho, a cidade ganhará mais 100 estações, todas com leitor do Bilhete Único, contemplando bairros como Bela Vista, Consolação, Luz, Pinheiros, Vila Madalena e Mooca, entre outros. Ao todo, mais mil bikes serão disponibilizadas, totalizando duas mil bicicletas em 200 estações até o final deste ano. A ideia é que, até 2014, estejam disponíveis três mil laranjinhas em 300 estações, até a Zona Leste.

O incentivo à evolução da mobilidade urbana é uma das causas do Itaú, que atua para fomentar o amadurecimento da cultura de integração das bicicletas ao modelo de transporte das cidades de forma conjunta com o poder público, iniciativa privada e sociedade. Dados do Cebrap – Centro Brasileiro de Análise e Planejamento comprovam o êxito do Bike Sampa: 58% dos usuários usam a bicicleta três ou mais dias por semana e cerca da metade deles não usa ônibus ou metrô para se locomover. Considerando o horário de retirada das magrelas nos dias úteis, 50% das viagens são realizadas em horários de pico, enquanto nos feriados e finais de semana 60% acontecem entre 10h e 14h.

As laranjinhas ficam à disposição dos usuários todos os dias da semana, da 6h às 22h. Para usar o sistema compartilhado é preciso preencher um cadastro pela internet (www.movesamba.com.br). Em São Paulo, a bicicleta pode ser usada por 30 minutos ininterruptos e quantas vezes por dia o usuário desejar. Para isto, basta que, após esta meia-hora, o ciclista estacione o equipamento em qualquer estação por um intervalo de 15 minutos. Para continuar utilizando a bicicleta sem intervalo serão cobrados R$ 5 a cada meia hora subsequente.

Veja Também

Não existem elementos anteriores que mostrar

Veja mais