Qual o impacto do IGPM no aluguel desse ano?

4/01/2021 - 5 min de leitura


Ilustração de uma casa Ilustração de uma casa

O Índice Geral de Preços do Mercado é medido pela Fundação Getúlio Vargas e mede a inflação de preços em diversos produtos, um deles é o aluguel. Ele é composto pela média de outros 3 índices, o IPA (Índice de Preços ao Produto Amplo), o INCC (Índice Nacional de Custos de Construção e por último o IPC (Índice de Preços ao Consumidor).

Segundo o IBGE, a taxa vai impactar o bolso de cerca de 13,3 milhões de brasileiros e em meio a pandemia, muitas dúvidas surgiram:

Qual vai ser o impacto do IGPM no aluguel desse ano? Como isso vai mexer financeiramente no meu bolso? Como lidar com o aumento do aluguel em meio a uma pandemia?

Pensando nessas e em outras questões que estão surgindo fizemos um levantamento com algumas dicas pra você que mora de aluguel.

Por que subiu tanto?

A FGV também divulgou recentemente que o índice teve alta de 3,05 pontos percentuais, sendo maior que o mês passado e de cerca de 13% nos últimos 12 meses.

Basicamente o seu crescimento acelerado se deve por conta da alta do dólar que teve um aumento de 34,19%.

Lembra do IPA, um dos índices que compõe o IGPM? Pois ele representa 60% desse índice e está diretamente relacionado a esse aumento. Toda vez que o dólar se sobrepõem ao real, o IPA vai sofrer o impacto dessa variação.

Esse cenário não está favorável, mas pode ser revertido conforme a moeda externa sofrer variações.

Infelizmente essa cadeia de variações acaba chegando no consumidor final que vê o aluguel oscilando e tendo que segurar os pratinhos quando os boletos chegam.

Como isso vai impactar no orçamento?

A situação da pandemia é muito delicada e trouxe situações inesperadas e que refletiram na saúde financeira de todo mundo.

Com isso, o aumento do IGPM pode ter um impacto maior do que o esperado.

Tente renegociar os valores com o proprietário do imóvel e de outro lado, faça uma leitura dos gastos mensais para entender se é possível economizar em algo.

Cozinhar mais e pedir menos delivery a princípio pode não ser tão prático, mas se organizar o cardápio da semana, você pode produzir as refeições de uma vez e deixar as marmitinhas prontas para o consumo da geladeira. Rever o uso de assinaturas e serviços pode virar um fôlego no orçamento também.

Como renegociar o valor do aluguel?

Por mais que o panorama não seja o desejado, ainda é possível negociar. Esse é o momento de ser bem transparente com o locador! Informe que o novo valor não está dentro do seu orçamento, abra o jogo caso tenha tido redução salarial ou se tiver sido demitido. Um bate-papo estipulando todos os pontos de ambos os lados pode ajudar a chegar em um ponto que te favoreça.

Pra você que pensa em se mudar

Essa alta do IGPM tem sido tendenciosa para que os donos de imóveis aumentem o valor do aluguel, os deixando com receio de dar desconto por conta da inflação alta.

Se você não precisar se mudar às pressas, pesquise bem o seu imóvel comparando valores por região e o que o apartamento e condomínio oferecem, por exemplo. Tente negociar o máximo possível tendo em vista o valor que tem sido praticado no local que escolher e se o valor de desconto for difícil de alcançar, espere mais um pouco até o mercado se movimentar novamente.

Estando no cantinho desejado ou procurando por um lar que seja o seu porto seguro, busque sempre negociar valores para não ser pego desprevenido!