Hábitos financeiros saudáveis para 2021

4/01/2021 - 4 min de leitura


Ilustração salada de números (recipiente com números dentro, para associar ao “saudável) Ilustração salada de números (recipiente com números dentro, para associar ao “saudável)

Ter bons hábitos financeiros nem sempre é uma tarefa simples. Se a gente parar para pensar que essa não é uma pauta recorrente da conversa de casa com a família, na escola ou até mesmo no ciclo de amizades, é fácil entender essa realidade.

Mas as pessoas têm se interessado cada vez mais por pautas financeiras, procurado saber mais sobre o assunto.

Hoje em dia temos programas de TV, influenciadores digitais, jogos, livros e o tema tem entrado até na pauta das escolas.

E por falar em hábitos financeiros, o que nos diz de começar a pensar nos do ano que vem?

 

Não deixe acumular dívidas

Nem sempre a gente consegue se livrar das dívidas, seja por um imprevisto ou porque a nossa realidade de consumo é superior à renda.

Mas o que pudermos fazer para evitar o acúmulo delas é melhor ;)

Em situações como essa, vamos ter em mente alguns fatores: contas de serviços essenciais como luz e água, por exemplo, precisam estar sempre em dia ou ser priorizados.

Tente negociar dívidas para estarem de acordo com a sua realidade financeira ou renegocie as que já existam há algum tempo.

 

Construa metas alcançáveis

Ter metas é muito bom, mas se frustrar com elas não é legal. Por isso pense de fato se consegue cumprir aquilo que estipular.

Se deseja começar a investir ou criar uma reserva financeira para momentos de imprevistos, pense o quanto você pode separar dentro do seu orçamento mensal sem interferir nos gastos que tem.

Comece com valor menores, mais fáceis de cumprir e vá aumentando o valor com o passar do tempo e planejamento.

 

Evite parcelamentos

Caso não seja uma pessoa que controla seus gastos, tente evitar fazer muitos parcelamentos ao mesmo tempo.

Por menos que sejam, ao serem somados os valores de parcelas no mês pode surpreender, além de tornar mais fácil a desorganização financeira.

 

Conheça a regra do 50-30-20

Essa é uma referência simples e conhecida para se ter como hábito na hora de controlar as contas ;)

Primeiro você deve organizar o seu pensamento financeiro e saber qual é o valor líquido que tem disponível mensalmente. Por exemplo, se você é um funcionário CLT, o líquido equivale ao seu salário depois de todos os descontos.

A regra se aplica para estabelecer o limite dos seus gastos e se divide assim:

50% deve ser destinado para os gastos fixos e que de fato são necessários para manter a sua rotina funcionando. Aqui a gente deve contemplar água, luz, as despesas com moradia, alimentação, transporte e saúde, por exemplo. Pense em tudo que você considera como essencial.

Os 30% são a parte que cabe ao seu bem-estar pessoal. Uma viagem, gastos com roupas, restaurantes, pense em lazer e diversão de uma maneira geral. Por mais que algumas pessoas achem que essa parte da distribuição é irrelevante, você precisa ter momentos de descanso e bem-estar para manter um equilíbrio, aliviar e relaxar.

Por último, os 20% é a parte que você deve guardar, criar uma reserva financeira, investir ou qualquer outra movimentação que sirva para poupar sua grana.

Confira como está a distribuição dos seus gastos e avalie como aplicar essa referência, fazendo os ajustes necessários para seu momento de vida.

Criar hábitos saudáveis que envolvem sua saúde financeira faz bem para o seu bolso e o planejamento do seu futuro.

Se você quer dar um toque em um conhecido, amiga ou parente que precisa começar a pensar de forma diferente nas finanças, compartilhe esse artigo.